Datas Comemorativas, Educação Infantil, Projetos Educativos

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental


O dia do índio é comemorado anualmente no dia 19 de Abril. Em escolas de todo o pais, professores da Educação Infantil e Ensino fundamental trabalham essa data em sala de aula e para te auxiliar neste processo selecionamos várias dicas e ideias para o seu Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental.

Outros recursos:

Canção para o dia do índio:

O indiozinho:



Sugestões de Lembrancinhas:

Sugestões de Atividades:

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental e Ensino Médio em PDF

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental: Vivendo o dia do índio na escola

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental: Vivendo o dia do índio na escola
Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental: Vivendo o dia do índio na escola

O que o aluno poderá aprender com esta aula

  • Conhecer práticas de subsistência e peculiaridades da etnia indígena;
  • Promover um olhar crítico das crianças sobre a vivência indígena;
  • Reconhecer a linguagem corporal como meio de interação social, considerando os limites de desempenho e as alternativas de adaptação para diferentes indivíduos.

Duração das atividades

  • As propostas serão divididas em 3 etapas, podendo ser em dias alternados.

Estratégias e recursos da aula

PRIMEIRA ETAPA: “Vamos refletir a partir de uma música”.

Duração: Em torno de uma hora

Local: Na sala de aula ou no pátio.

Material: Aparelho para reprodução de um dvd com imagem e som.

Proposta: O professor proporá uma roda com as crianças sentadas confortavelmente para assistirem um DVD da cantora brasileira Baby Consuelo, cantando a música composta por Jorge Ben “Todo dia era dia de Índio!”, enquanto aparecem imagens dos índios.

Letra da música:

Curumim chama cunhata que eu vou contar
Cunhata chama curumim que eu vou contar
Curumimm, Cunhataa
Cunhataa, Curumimm

Antes que os homens aqui pisassem nas ricas e férteis
terras brasilis
Que eram povoadas e amadas por milhões de índios
Reais donos felizes da terra do pau Brasil
Pois todo dia e toda hora era dia de índio
Mas agora eles tem so um dia
Um dia dezenove de abril

Amantes da pureza e da natureza
Eles são de verdade incapazes
De maltratarem as fêmeas
Ou de poluir o rio, o céu e o mar
Protegendo o equilíbrio ecológico

Da terra, fauna e flora pois na sua história
O índio é exemplo mais puro
Mais perfeito, mais belo
Junto da harmonia, da fraternidade
E da alegria, da alegria de viver
Da alegria de amar
Mas no entanto agora
O seu canto de guerra

É um choro de uma raça inocente
Que já foi muito contente
Pois antigamente
Todo dia era dia de índio

Após, o professor solicitará que as crianças comentem o que viram e ouviram. Ele percebendo que pode intervir na conversa das crianças com intuito de aprofundar sobre o assunto, deverá se permitir, com cautela e sutileza.

Após a conversa, num tom de convite, ele instiga as crianças a dançarem no ritmo desta música e em alguns momentos, o professor solicitará que as crianças virem “estátuas” ficando imóveis. Neste momento, o som também deverá cessar e o professor deverá transitar por entre as crianças instigando-as a virarem estátuas de índio: um momento pescando, outro atirando uma flecha, em uma roda sentados, agachado como os indígenas.

Ao final, ele convidará as crianças a fazerem uma pesquisa, junto aos seus familiares, sobre os índios as suas crenças, como se alimentam, o que eles fazem e combina com as crianças que num próximo momento, eles conversarão sobre o que cada um pesquisou. O professor deverá reforçar com os pais das crianças sobre esta pesquisa.

SEGUNDA ETAPA: “Vamos conhecer um pouco sobre os índios!”

Duração: Aproximadamente 2 horas.

Local: Na sala de aula ou em outro ambiente da Instituição onde as crianças possam construir os objetos tranquilamente e confortavelmente.

Material: Penas, pedras, corda sisal suficiente para o número de crianças do grupo.

Proposta: O professor deve reunir o grupo em uma roda para conversar sobre a pesquisa solicitada, de forma que todos tenham a oportunidade de se pronunciar e comentar o que pesquisaram. Deverá estar atento para poder contribuir com as informações.

Depois dos relatos e conversas, o professor faz um convite: “Vamos conhecer um pouco mais sobre os índios!”

Convite aceito, o professor fala de um artefato indígena, o cocar e da sua importância para aqueles que o usam. Irá convidar as crianças a construírem um “cocar do poder!”,

O docente explorará sobre este objeto e a importância dele para os índios, propondo que de maneira semelhante, será importante para as crianças se elas construam seus artefatos se utilizando da sua força interior, dando asas à imaginação, o que é muito peculiar nesta faixa de idade. O professor deverá colocar nas conversas a respeito desta proposta um tom enigmático, místico e desafiante para que as crianças “mergulhem” na sua proposta.

O professor poderá preparar os materiais necessários para esta construção com as crianças buscando na natureza “coisas” necessárias para compor o cocar. Este momento poderá ser organizado em um passeio a um parque, bosque praça, etc. Será importante visitar previamente o local e escondendo penas, pedras, pedaços de corda de sisal pelo caminho, de forma que cada criança terá o seu pedaço e acesso a diferentes materiais. No caso da impossibilidade, o professor esconderá os materiais necessários para a construção do cocar para cada criança na Instituição e solicitará que elas procurem. Ambas, depois de posse das cordas e artefatos da natureza coletados, no caso de não se sair da Instituição, o professor, da mesma forma deixará no caminho coisas que ele mesmo deverá coletar previamente antes da aula. É a “vontade” pedagógica tendo de ser acionada novamente. Uma vez com todos os materiais à mão, “mãos a obra!”.

TERCEIRA ETAPA: “Vamos construir um cocar?”

Duração: Uma hora aproximadamente.

Local: Na Instituição ou ao ar livre.

Material: Materiais recolhidos na natureza, pedaços de corda de sisal, cola quente e pistola para colar, papel colorido de textura mais forte para prender na cabeça.

Proposta: Esta proposta pode ser feita na Instituição ou nos arredores, desde que sejam observadas as condições climáticas favoráveis e confortáveis.

O professor deverá convidar as crianças para uma roda e propor um espreguiçar pensando nos animais, podendo ser o gato e o cão. Após, o professor solicitará que as crianças utilizem as cordas, medindo a cabeça de cada uma delas, na altura da testa. Feito isto, ele dará um nó para que ao colocar na cabeça, a corda possa ficar firme. Depois dessa etapa pronta, o professor solicitará que as crianças fixem os adereços recolhidos na natureza nos seus cocares. Dependendo do material, o professor poderá fixá-los com cola quente (que será utilizada somente pelo adulto e com a devida organização de segurança, de forma que as crianças não tenham acesso, mas possam acompanhar o processo).

O professor deverá fazer uma seleção variada de sons indígenas que seja agradável ao ambiente desta “oficina”.

Ao final o professor solicitará que as crianças mostrem os seus cocares meio que “desfilando” cada qual do seu jeito ao som indígena mais animado.

Avaliação

  • Nos registros da aula, o professor avalia como as crianças reagiram diante do proposto: com coragem, vergonha, medos, desenvoltura, se conseguiram interagir com as outras crianças do grupo, objetos confeccionados, e propostas.
  • O registro fotográfico poderá servir de subsídio para a avaliação da aula do professor e da sua observação quanto a participação das crianças. As imagens poderão compor um registro escrito que poderá ficar exposto na Instituição onde familiares e visitantes possam contemplar.

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental –  Maternal ao 2º Ano

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental –  Maternal ao 2º Ano
Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental –  Maternal ao 2º Ano
O tema oportuniza o aluno perceber outros grupos sociais, auxiliando-o na construção da sua identidade, na atuação com o outro grupo na vida social, na preservação do meio ambiente em que vive e na construção de valores.

Objetivo Geral:

  • Promover atividades teóricas e práticas concernentes ao dia do Índio.

Objetivos específicos:

  • Conhecer um pouco da história dos Índios;
  • Demonstrar aos alunos a importância do Índio na nossa cultura;
  • Conhecer e valorizar os hábitos e costumes indígenas;
  • Desenvolver o raciocínio-lógico, a expressão oral e a corporal, a coordenação motora, a percepção auditiva e visual da criança;
  • Estimular a imaginação e a criatividade;
  • Diferenciar a cultura indígena das demais culturas;
  • Estimular a comemoração do “Dia do Índio”.

Proposta Metodológica:

  • Fazer uma discussão sobre a cultura indígena usando fotos, vídeos, músicas e a vasta literatura de contos indígenas. “Ser Índio não é estar nu ou pintado, não é algo que se veste. A cultura indígena faz parte da essência da pessoa. Não se deixa de ser Índio por viver na sociedade contemporânea”.
  • Mostre aos alunos que os povos indígenas não vivem mais como em 1500. Hoje, muitos têm acesso à tecnologia, à universidade e a tudo o que a cidade proporciona. Nem por isso deixam de ser indígenas e de preservar a cultura e os costumes.
  • Debater sobre o que podemos aprender com esses povos. Em relação à sustentabilidade, por exemplo, como poderíamos aprender a nos sentir parte da terra e a cuidar melhor dela, tal como fazem e valorizam as sociedades indígenas?

Sugestões de atividades:

  • Reconto da história dos Índios;
  • Músicas sobre os Índios;
  • Registros através de textos e desenhos;
  • Confecção um de mural;
  • Pesquisas;
  • Conversas sobre o tema;
  • Confecção de cocar e chocalho;
  • Pintura no Rosto;
  • Desenhos para colorir;

Sugestões de planejamento:

  • Linguagem: produção de textos verbal e não verbal, vocabulário utilizado pelos Índios;
  • Matemática: Números, quantidade, maior e menor, alto e baixo, curto e comprido, adição, e etc.
  • Natureza e Sociedade: A vida dos Índios (Caça, Pesca, Onde moram, Comidas, e etc.)

Recursos:

  • Folhas de papel;
  • Giz de cera e lápis de cor;
  • Brinquedos;
  • Tesoura sem ponta;
  • Papel dupla face;
  • Fantoches;
  • Livros de histórias infantis
  • Músicas;
  • Vídeos;
  • Som;
  • Guache;

Culminância:

  • Apresentação da Música: O indiozinho (João Colares) com alunos caracterizados e outras músicas relacionadas ao tema. Exposição das atividades, produções e criações realizados, fotos, e etc.

Avaliação:

  • A Avaliação será processual mediante o desenvolvimento do projeto, observando a participação, entusiasmo, colaboração nas atividades propostas.

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental

Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental
Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental

ÁREAS DO CONHECIMENTO ENVOLVIDAS

  • Língua Portuguesa.
  • Matemática.
  • Mundo Físico e Natural.
  • História e Geografia.
  • Ensino Religioso.
  • Arte.
  • Educação Física.
  • Música.
  • Dança.
  • Informática.
  • Língua Inglesa.
  • Língua Kaingang.

OBJETIVOS

  • Conhecer e refletir sobre a história dos índios Kaingang;
  • Conhecer, analisar e debater os hábitos e costumes dos indígenas;
  • Conhecer e valorizar a cultura indígena – hábitos, costumes e artes;
  • Reconhecer a cultura indígena como parte integrante de nossa cultura;
  • Valorizar a diversidade racial do povo brasileiro e propiciar o respeito à diferença racial e cultural;
  • Conhecer e valorizar o contato e a relação de respeito à Natureza, próprios da cultura indígena, estimulando preservação do meio ambiente;
  • Valorizar a sabedoria dos mais velhos na transmissão de conhecimento através da oralidade;
  • Tornar prazeroso o processo de aprendizagem no ambiente escolar.

JUSTIFICATIVA

Segundo o PCN, é preciso que o aluno conheça e valorize a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

Este projeto tem como proposta despertar as crianças para a importância da valorização da cultura indígena. É importante que as crianças descubram que, afinal não existe uma única forma de viver, sentir, comer e falar e que grande parte dos nossos hábitos de hoje são herança da cultura indígena a qual é parte integrante de nossas raízes. Em contato com o universo indígena daremos também um importante passo para nos afastarmos de preconceitos em relação àqueles que nos parecem diferentes além de proporcionar aos pequenos a oportunidade de enxergar melhor as características da nossa própria cultura.

Quando o aluno entra em contato com os conteúdos de forma prazerosa, pode desenvolver-se melhor no processo de ensino-aprendizagem, ou seja, deixa de ser um aluno passivo para se tornar um aluno participativo, crítico-reflexivo levantando hipóteses em relação ao objeto de estudo.

Sedo assim a escola tem um papel fundamental de levar o educando ao conhecimento das principais manifestações culturais existentes em seu meio, relacionado-se de forma respeitosa com as mesmas. Desta forma,cabe a instituição escolar abordar a referida temática, fornecendo informações relevantes a seus educandos de forma que os mesmos possam ampliarem seus conhecimentos.

METODOLOGIA

  • Levantamento do conhecimento da criança sobre o tema, propondo aos alunos um diálogo sobre os descendentes indígenas que residem em nosso município: que etnia representam, de onde vieram. Procurando incentivar para que todos dêem sua opinião. Em um segundo momento listar em um cartaz os conhecimentos que os alunos já tem sobre o assunto (Conhecimentos Prévios).
  • Provocar os alunos a se expressarem, fazer indagações e ir registrando em um cartaz. Logo em seguida, em um outro cartaz, listar as dúvidas provisórias dos alunos, ou seja, perguntar o que desejam saber sobre o tema e ainda não sabem, novamente provocar os alunos a fim de lançarem suas dúvidas.
  • Propor que os alunos ilustrem os cartazes com fotos e desenhos.

RECURSOS

  • Material escolar de uso diário, mídia impressa, recursos tecnológicos, transporte escolar, etc.

AVALIAÇÃO

  • A avaliação será feita através de registros dos alunos por parte da professora, frente às atividades tanto individual quanto coletiva no decorrer do desenvolvimento do projeto.
  • Será observado por parte da professora a criatividade e o conhecimento alcançado, o senso crítico e a organização dos materiais pelos alunos durante as atividades propostas em sala de aula.

Sugestão de Atividades para o Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental

“A conquista do colar”

A turma dividida em 4 equipes deverá responder questões, mediante sorteio, sobre assunto já ensinado em classe. A cada resposta certa, a equipe receberá material para confeccionar o colar (pedaços de barbante ou fio de nylon e contas variadas, que deverão ser da cor de cada equipe – até 8 contas por aluno).

Perguntas

  • Quem era os habitantes do Brasil antes da chegada dos brancos? Os índios.
  • Como era a organização social desses povos? Viviam em tribos.
  • Onde viviam? Viviam na taba, aldeias indígenas.
  • Como era a casa do índio? Era a oca ou palhoça.
  • Quem os governava? O chefe da tribo era o cacique e o chefe religioso era o pagé.
  • Como sobreviviam? Da caça, da pesca e da coleta nas matas.
  • Que animais caçavam?Antas, macacos, veados, porcos do mato.
  • O que plantavam? Mandioca, milho e feijão.
  • Que língua falavam? O tupi-guarani.
  • Quais eram suas principais armas? O arco, a flecha, o tacape.
  • Como era a religião deles? Adoravam vários deuses. O principal era Tupã (sol) e Jaci (lua).
  • Tinham medo de alguma coisa? Dos trovões. Acreditavam que Tupã estava bravo.
  • Como é vivem os índios hoje?
  • O que fazem para sobreviver?

O que achou da postagem “Plano de Aula Dia do Índio para Ensino Fundamental“? Se gostou não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais e também deixar nos comentários a sua opinião!


One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *