<

Projetos de Matemática 5 ano


Reunimos nesta postagem diversas sugestões e ideias de Projetos de Matemática indicados para alunos do 5 (quinto) ano do ensino fundamental.

Excelentes sugestões para trabalhar com seus alunos. Talvez possa ser interessante para você: Planejamento anual 5 ano de Matemática.

Navegando nosso site você pode visualizar e utilizar gratuitamente diversos modelos de projeto, que podem ser vistos clicando aqui.

Projetos de Matemática 5 ano

Confira algumas sugestões de projetos para trabalhar matemática em sala:

Brincando Também se Aprende

Projetos de Matemática 5 ano

Promover atividades lúdicas, mostrando que a matemática pode ser divertida e a resolução de problemas matemáticos pode proporcionar momentos agradáveis que oportunizam a vivência de situações que exigem solidariedade e companheirismo entre os alunos.

Pata ter acesso ao material em PDF, confira o link a seguir e baixe:

Kit de Alfabetização Só Escola

As Compras

Projetos de Matemática 5 ano

Objetivos

  • Propiciar a troca de experiências e de conhecimentos adquiridos.
  • Fazer com que o aluno saiba debater idéias, levantar hipóteses, elaborar estratégias e aplicá-las, sempre por meio de situações-problema, próximas à sua vivência, visando a uma melhor contextualização.
  • Conhecer as diversas moedas e cédulas do nosso país.
  • Levar o aluno a raciocinar, explorar e descobrir, fator que tem importante papel na concepção do espaço pela criança.
  • Trabalhar os três eixos sugeridos pelos Parâmetros Curriculares Nacionais: números e operações, grandezas e medidas e tratamento da informação.

Temas transversais

  • Ética: Diálogo, respeito mútuo, solidariedade. Uso e valorização do diálogo como instrumento para esclarecer os conteúdos. Cooperação e organização.
    Meio ambiente: Conservação do meio ambiente.
  • Pluralidade cultural: Diferentes formas de transmissão de conhecimento: práticas educativas nas diferentes culturas. Cidadania: Direitos e deveres individuais e coletivos.

Trabalho e consumo:

O conhecimento das relações de trabalho em várias épocas é importante para compreender sua dimensão histórica e comparar diferentes modalidades de trabalho, como o comunitário, a servidão, a escravidão, o trabalho livre, o assalariado, o trabalho no espaço urbano e rural.

Posicionar-se de maneira crítica em relação ao consumismo, às mensagens da publicidade e às estratégias de venda. Reconhecer como é o processo de inserção no mercado de trabalho, identificando problemas e possíveis soluções.

Informar mais sobre o trabalho infantil.

Material a ser utilizado

  • Cartolinas coloridas ou brancas,
  • canetas ou lápis de cor,
  • cola,
  • régua,
  • tesoura,
  • papel ou caderno para as anotações.
  • Pesquisa em enciclopédias, livros e internet.
  • Visita a um Banco.
  • Moedas e cédulas antigas e atuais.

Primeira etapa

Proponha as seguintes perguntas para despertar a curiosidade do aluno:
Para que o dinheiro é usado? Por que será que ele foi criado?
Onde são confeccionadas as cédulas e moedas?
Como são seus tamanhos e cores?
Como era o dinheiro antigamente? Será que ele sempre foi assim, com o mesmo valor, tamanho, cor etc.
Quais são as cédulas e moedas brasileiras?
Vocês sabem o nome da moeda usada em outros países?

Segunda etapa

Proponha uma visita a um banco, se possível ao Banco Central (local onde todos os bancos da cidade dispõem de uma conta bancária).
No Banco Central, a visita é monitorada aos visitantes, exibido um vídeo, que mostra o funcionamento do Banco Central, desde que foi criado até os dias de hoje, e os cuidados necessários com o nosso dinheiro.
Existe também o Museu de Valores do Banco Central, com a exposição intitulada “O dinheiro no tempo”. Na exposição, podem-se ver moedas e cédulas de outros países.
Explore a observação de como é o museu, para que depois seja uma exposição das pesquisas de dinheiro antigo.

Terceira etapa

O dinheiro, seja em que forma se apresente, não vale por si, mas pelas mercadorias e serviços que pode comprar. A moeda não foi inventada, mas surgiu de uma necessidade; e sua evolução, reflete a vontade do homem de adequar seu instrumento monetário à realidade de sua economia.

Proponha que os alunos tragam balas, chicletes, chocolates, etc.

Introduza a necessidade de valores diferentes para cada tipo de mercadoria.

Pode-se confeccionar dinheiro de papel para que os alunos possam elaborar uma “cantina”, estipulando o valor de cada mercadoria. Preparando as mercadorias e vendendo-as, os alunos entendem o que é lucro, prejuízo, troco, etc.

Trabalho interdisciplinar

Artes: Confecção de dinheiro de papel e de desenhos.
História: Pesquisa sobre o dinheiro através dos tempos.
Português: Elaboração de cartazes e tabelas de preços para a cantina.


Para colaborar com os projetos de matemática para 5 ano, é interessante conferir também algumas Atividades educativas e divertidas de de matemática:

Todas as atividades de matemáticas estão organizadas aqui. Mas elas também podem ser buscadas por ano, as atividades de matemática 5 ano, estão aqui.

Medidas de Tempo

Objetivos

  • Propiciar a troca de experiências e conhecimentos.
  • Fazer com que o aluno saiba debater idéias, levantar hipóteses, elaborar estratégias e aplicá-las.
  • Identificar e relacionar em um calendário as unidades de tempo: dias do mês, semanas do mês, meses do ano.
  • Identificar como se registram datas.

Temas transversais

Ética: diálogo, respeito mútuo, solidariedade.
Meio ambiente: observação do tempo.
Pluralidade cultural: diferentes formas de transmissão de conhecimento e de diferentes culturas. Cidadania: direitos e deveres individuais e coletivos.

Material a ser utilizado

  • Fotos e textos sobre relógios antigos e atuais.
  • Cartolinas,
  • canetas,
  • papel,
  • cola,
  • tesoura para os calendários.
  • Calendários e agendas.

Primeira etapa: Sensibilização

Desperte no aluno a importância das unidades de medida em nossas vidas:

• Que dia da semana é hoje?
• Quantos dias faltam para o fim de semana?
• Em que mês e ano nós estamos?
• Quanto tempo faz que você nasceu?

Relate que, desde os tempos antigos, a humanidade percebeu que o Sol aparece e se esconde no horizonte todos os dias, que a Lua muda de aspecto em determinados períodos e que há épocas do ano com dias mais frios e outros mais quentes. Por isso, preocupou-se em determinar medidas para o tempo.
Os homens baseavam-se na agricultura: preparação do solo, plantio, crescimento e colheita das plantações.
Peça aos alunos para que tragam um relógio para a próxima aula.

2ª Etapa: As horas

Através da observação dos diferentes tipos de relógios trazidos para a classe, questione para que comparem, formulem hipóteses e identifiquem as características de seu relógio: o que representam os números, os ponteiros, os dois pontos, os zeros etc.

Mostre um relógio digital e um analógico desenhados em cartolina em tamanhos grandes para realizar as descobertas junto com os alunos.
Registre todas as descobertas e as diferenças entre os relógios no caderno.

3ª Etapa: A semana, os meses e o ano

Confecção do calendário de classe. Peça aos alunos que observem o calendário que trouxeram e respondam:

  • Quais são os dias da semana? Registre as respostas no calendário de classe.
  • Quantos dias têm a semana?
  • Quantos dias têm um mês? Cole os dias dos meses.
  • Quantas semanas têm um mês?
  • Qual é o primeiro mês do ano? E os outros? Registre no calendário.
  • Em que mês nós estamos? Pinte no calendário.
  • Quais são os meses que têm 30, 31, 28 ou 29 dias?

Coloque o calendário de classe no mural para que os alunos observem a mudança a cada dia.

Registre as descobertas no caderno e confeccione com os alunos um calendário para cada um.

4ª Etapa

Proporcione uma exposição de relógios, com relógios antigos e sua evolução através dos tempos, solicitando materiais de pesquisa para os alunos.
Exponha também os calendários confeccionados por eles.

Trabalho interdisciplinar

Artes: confecção do calendário.
História: evolução dos instrumentos de medida de tempo através de textos e fotos.
Português: leitura e escrita das medidas de tempo.
Ciências: movimentos da Terra.
Informática: pesquisas na internet sobre o tema.
Educação física: trabalhar o tempo de duração dos jogos: futebol, basquete etc.


Blocos lógicos

Objetivos

  • Despertar o pensamento, propiciando a troca de experiências e de conhecimentos.
  • Fazer com que o aluno saiba debater idéias, levantar hipóteses, elaborar estratégias e aplicá-las, sempre por meio de situações-problema próximas à vivência do aluno para maior contextualização.
  • Trabalhar com a geometria, manuseando e manipulando objetos, embalagens e blocos lógicos e descobrindo seus elementos, suas características ou propriedades e as diferenças e semelhanças entre eles.
  • Raciocinar, explorar e descobrir são fatores que desempenham importante papel no desenvolvimento da concepção de espaço.

Temas transversais

Ética: Diálogo, respeito mútuo, justiça, responsabilidade, cooperação, organização e solidariedade.

Pluralidade cultural: Desenvolvimento da capacidade de utilizar cada vez mais os conceitos matemáticos no dia-a-dia. Trabalho coletivo. Compartilhamento de descobertas. Visão do mundo em diferentes culturas, momentos históricos e povos.

Material a ser utilizado

  • Uma caixa de blocos lógicos de madeira ou de cartolina.
  • Cartolinas coloridas ou brancas,
  • canetas ou lápis de cor,
  • cola,
  • régua,
  • tesoura,
  • papel ou caderno para as anotações.
  • Saquinhos ou caixinhas para guardar o material de cartolina confeccionado pelos alunos.

Procedimentos

Sensibilização: A Geometria exige uma maneira específica de raciocinar, explorar e descobrir, fatores que desempenham importante papel na concepção de espaço pela criança. Nas classes de educação infantil, os blocos lógicos, pequenas peças geométricas, são bastante eficientes para que os alunos exercitem a lógica e evoluam no raciocínio abstrato. Eles facilitam a vida dos alunos nos futuros encontros com números, operações, equações e outros conceitos da disciplina. Sua função é dar aos alunos idéias das primeiras operações lógicas, como correspondência e classificação.

Os exercícios com os blocos lógicos podem estender-se por todo o programa do ano, sempre intercalados com atividades que empreguem outros tipos de material didático, como o material dourado ou Cuisenaire.

Primeira etapa

Um jogo de blocos lógicos contém 48 peças, divididas em:

  • três cores (amarelo, azul e vermelho);
  • quatro formas (círculo, quadrado, triângulo e retângulo);
  • dois tamanhos (grande e pequeno) e duas espessuras (fino e grosso).

As peças podem ser de madeira ou cartolina, sem medidas padronizadas. Você poderá confeccionar o material com seus alunos em cartolinas.

Jogo livre Primeiramente, promova o reconhecimento do material. Peça aos alunos para formarem desenhos com as formas dos blocos lógicos, observando e comparando as cores, os tamanhos e as formas. Esse trabalho poderá ser feito em grupo, pois os alunos, através de diálogos, enriquecerão o conhecimento das características físicas de cada bloco.

Jogo da classificação

Apresente um quadro às crianças para que classifiquem os blocos.

a) as quatro formas: círculo, quadrado, retângulo e triângulo;
b) as duas espessuras: grossa e fina;
c) os dois tamanhos: pequeno e grande; d) as três cores: amarelo, azul e vermelho. Crie com elas os atributos que serão dados para os tipos de blocos existentes.

Faça um quadro em cartolina. Escolha alguns atributos (formas, espessuras, tamanhos ou cores) e peça aos alunos que separem os blocos de acordo com os atributos escolhidos. Primeiramente, escolha apenas um atributo (quadrado).

Exemplo: separar apenas as peças quadradas. Depois, vá acrescentando atributos (vermelho, fino, pequeno). Os alunos completarão o quadro com a peça quadrada, pequena, fina e vermelha.

Segunda etapa:

Jogo: Quem está com a peça?

Peça para cada aluno escolher um bloco lógico. A professora escolherá uma das peças, sem contar aos alunos qual é. Essa será a peça que deverá ser adivinhada. Apresente então um quadro com duas colunas.

Supondo que a peça escolhida seja um triângulo pequeno, azul e grosso, você colocará no quadro apenas o primeiro atributo e perguntará: — Quem tem a peça azul? Todos os alunos que tiverem as peças azuis vão colocá-las no quadro. Em seguida, dê outra dica: — Quem tem a peça na forma triangular?

Quem tiver colocado a peça que não for triangular deverá ir ao quadro retirá-la. O exercício continua com os outros atributos até ficar apenas a peça que foi escolhida.

A atividade estimula mais que a comparação visual. Também exercita a comparação sensorial entre o atributo e a peça que a criança tem na mão. Você poderá fazer também uma segunda coluna, a da negação (peças que não são da cor, do tamanho, da espessura nem da forma pedida), que leva à classificação e ajuda a compreender, por exemplo, que um número pertence a um conjunto numérico, e não a outro.

Terceira etapa Jogo: Adivinhe qual é a peça?

Divida a classe em grupos e espalhe os blocos lógicos pelo chão.

Para descobrir qual é a peça, as crianças farão uma competição. Dê um comando das características de uma peça (por exemplo: amarelo, triângulo, grande e fino) para um grupo.

Em seguida, o grupo deve procurar e selecionar a peça correspondente para mostrá-la, o mais rapidamente possível, às outras equipes.

A competição poderá ter como objetivo verificar qual grupo encontra a peça correta primeiro ou qual grupo encontra mais peças corretas. À medida que acerta, recebe uma pontuação.

Outra opção é fazer com que cada equipe desafie os outros grupos da classe, distribuindo eles mesmos os atributos.

Quarta etapa

O jogo das diferenças

Neste jogo os alunos observarão três peças sobre o quadro. Exemplo: 1 – triângulo, amarelo, grosso e grande; 2 – quadrado, amarelo, grosso e grande; 3 – retângulo, amarelo, grosso e grande.

Eles deverão escolher a quarta peça (círculo, amarelo, grosso e grande), observando que entre ela e a peça vizinha deverá haver o mesmo número de diferenças existentes entre as outras duas peças do quadro (a diferença na forma).

As peças serão colocadas pela professora de forma que, em primeiro lugar, haja apenas uma diferença. Depois duas, três e, por fim, quatro diferenças entre as peças. Os alunos farão comparações cada vez mais rápidas quando estiverem pensando na peça que se encaixe em todas as condições.

Jogo: O mestre mandou

Os alunos deverão encontrar a peça que obedeça à seqüência de comandos estabelecida pela professora.

A seqüência poderá ser iniciada com os atributos: círculo, azul e grosso. Os alunos escolherão a peça correspondente.

O comando seguinte é mudar para a cor vermelha. Eles selecionarão um círculo grosso e vermelho.

Em seguida, devem mudar para a espessura fina. Então, um círculo vermelho e fino deverá ser selecionado. A professora poderá continuar acrescentando comandos, ou apresentar uma seqüência pronta.

Faça depois o processo inverso. Os alunos serão apresentados a uma nova seqüência de comandos, já com a última peça.

Eles deverão reverter os comandos para chegar à peça de partida. A atividade é essencial para o entendimento das operações aritméticas, principalmente a adição como inverso da subtração e a multiplicação como inverso da divisão.

Organize uma exposição dos trabalhos.

Trabalho interdisciplinar

Artes: Confecção dos blocos lógicos e dos desenhos. Trabalho com os blocos lógicos na criação de painéis.

História: Pesquisa sobre os desenhos geométricos, que são muito utilizados em obras de arte e construções.

Informática: Para os alunos do Ensino Fundamental, desenhar blocos lógicos no computador utilizando a linguagem de programação Logo; torna o aprendizado muito mais eficaz.

Educação física: Os alunos poderão observar todas as linhas da quadra de basquete e compará-las às figuras geométricas.


Projeto Interdisciplinar

Tenha acesso ao material, clicando aqui: