<

Realismo no Brasil


O Realismo no Brasil começa a criar nuances no ano de 1881, é considerado o ano inaugural do Realismo no país. O século XIX foi de grande produção literária acerca do movimento cultural realista, com a publicação de dois romances fundamentais que modificaram o curso da literatura Brasileira: O mulato, de Aluisio de Azevedo, o primeiro romance naturalista do Brasil, e não podemos esquecer-nos de Machado de Assis, que intitulou o primeiro romance realista da literatura Brasileira, “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. O realismo começa a se estender realmente em suas obras nas primeiras duas décadas do século XX.

Diante desse contexto, não podemos esquecer-nos da obra pré realista de Manuel de Antonio de Almeida, que publicou o livro “Memórias de Um Sargento de Milícias”, 32 anos antes do despontar do realismo no Brasil.

CONTEXTO SOCIAL NO BRASIL ADVINDO O REALISMO

Como sabemos, o realismo surgiu no Brasil para refletir com grande clareza a real situação e mudança no âmbito econômico, político, cultural e principalmente no cenário social, todos esses fatores sofreram transformações na segunda metade do século XIX.

O Brasil passava por um período de Revolução Industrial, período esse que teve o seu inicio no século XVIII, a mesma deu entrada na grande produção de aço, petróleo e da eletricidade, que foi o grande ápice da época. O capitalismo, o grande e indomável capitalismo, se estrutura e se posiciona em caráter renovador e moderno, diante desse cenário houve grandes surgimentos de complexos industriais no país.

Infelizmente nada foi feito para atender a produção operaria que se matava dia a dia para conseguir o pouco que recebia, a massa operaria urbana crescia em grande desordem, os mesmos não partilhavam dos benefícios gerados pela grande Indústria Brasileira da época, não é tão diferente da realidade dos tempos atuais. Com esse cenário, o realismo surge para representar variadas posturas ideológicas de vários autores e pensadores da época.

No quesito campo econômico e no campo político social, o Brasil passou por mudanças significativas, período esse de 1800 a 1900. A Monarquia se vê decadente, o momento se dá no grande avanço da luta abolicionista, desde a guerra do Paraguai, os movimentos republicanos são organizados no meio militar, o século marca o fim da mão-de-obra escrava e a substituição pela mão de obra assalariada, voltadas para imigrantes europeus que vinham tentar ganhar o pouco que precisavam na lavoura cafeeira, voltado para uma economia de mercado externo.

FILOSOFIAS QUE INFLUENCIARAM O REALISMO NO BRASIL

O realismo Brasileiro anda de mãos dadas com as principais correntes filosóficas do realismo europeu da época, como sabemos o movimento estava diretamente interligado com o momento histórico, refletindo nas seguintes correntes:

  • Positivismo de Augusto Comte: O mesmo preocupava-se com real-sensível.
  • Socialismo cientifico de Marx e Engels: Nessa fase ambos defendiam o materialismo histórico, na defesa das lutas de classes
  • Evolucionismo de Charles Darwin e sua teoria da origem das espécies: nessa teoria negava-se a origem divina advinda do cristianismo
  • Cientificismo: O avanço nas ciências exatas e sociais mostrou-se com influencia dos autores da chamada nova estética, principalmente aqueles naturalistas presentes nas obras nesse período
  • Empirismo: Valorização do método cientifico, ou seja, tudo aquilo que é observado e presenciado pode assim ser narrado
  • Determinismo de Hypolite Taine: Pensamento esse marcado na obra “O cortiço”, de Aluisio de Azevedo, a obra seria determinada por três fatores: meio, momento e raça, referindo-se a hereditariedade, importante fase que faz com que o realismo e o naturismo sejam considerados uma única escola literária, mas é importante ressaltar que ambas tem diferenças, enquanto o realismo determinista explica o comportamento humano diante da sua realidade, o determinismo naturalista vai a fundo, através de um cenário patológico e biológico.
  • Distanciamento: O distanciamento no cenário é para enxergar melhor a realidade

CARACTERÍSTICAS DO REALISMO

As principais características que abarcam esse movimento literário de grande importância para época são:
OBJETIVIDADE: A objetividade aparece como negação do subjetivismo romântico, nessa negação mostra o homem voltado para aquilo que está diante e fora dele, o chamado não-eu.

CRITICA SOCIAIS: Critica a sociedade burguesa, macelas sociais exploradas, marca registrada do realismo, engajada na critica e mudança social.

Correção e Clareza na Linguagem: Essa forma de linguagem utilizada era pra mostrar em obras criadas a realidade como ela é direta e objetiva.

Sondagem Psicológica dos personagens: As emoções do personagem e do escritor são sentidas na obra, principal característica para entender a realidade daquele momento.

Contenção das Emoções: Diferentemente do teor românticos das obras, os autores realistas não queriam passar um obra de teor muito sentimental para os leitores, como a idealização do amor ou a espera do mesmo, afastando assim a longa trilha entre Romantismo e Realismo.

Impessoalidade do Narrador: O narrador em terceira pessoa, ou seja, a impessoalidade sobre a realidade, enquanto o narrador em primeira pessoa coloca sua visão individual sobre a realidade apresentada.

Narrativa Lenta: Construção de analises e momentos da obra escrita é possível notar grandes trechos no movimento realista, uma linguagem detalhada, bem descritiva AUTORES BRASILEIROS DO REALISMO:

MACHADO DE ASSIS (1839-1908)

MACHADO DE ASSIS (1839-1908)
MACHADO DE ASSIS (1839-1908)

O romance realista foi extremamente cultivado por Machado de Assis (1839-1908), uns dos principais autores das obras realistas, considerado romancista, cronista, contista, poeta e critico literários, e criador de peças de teatros, a obra romântica realista de machado faz critica da sociedade a partir do comportamento dos personagens.

As Obras de Machado são divididas em duas fases distintas: Fase Romântica ou de Amadurecimento e Fase realista ou maturidade.

Veja mais sobre Machado de Assis.

PROSAS REALISTAS DA PRIMEIRA FASE:

As obras da primeira fase por mais que estejam concentradas ainda no romantismo, já alertavam para a fase do amadurecimento das obras, como: O amor contrariado, o casamento por um simples interesse, preocupação psicológica pequena, e tons de ironias, mas ainda contido nas convenções românticas, no aspecto formal e na visão de mundo.

  • Romance Ressurreição, 1872
  • A mão e a Luva, 1874
  • Helena, 1876
  • Iaiá Garcia, 1878

Recomendamos também: Naturalismo

PROSAS REALISTAS DA SEGUNDA FASE:

As prosas realistas de Machado representam a analise psicológica dos personagens, deixando de lado a idealização romântica de 1881, c voltadas para o egoísmo e pessimismo, a linguagem extremamente correta, as frases curtas, a técnica dos capítulos curtos e da conversa direta com o leitor, são as principais características das obras realistas, criticando os valores românticos e a analise da sociedade:

  • Memórias Póstumas de Brás Cubas, 1881
  • Quincas Borbas, 1886
  • Dom Casmurro, 1899
  • Esaú e Jacó, 1904
  • Memória de Aires, 1908

RAUL POMPEIA (1863-1895)

Nascido em Angras dos Reis no RJ, em 1863. Raul formou-se em direito, era abolicionista, e em 1888 publicou sua primeira obra de sucesso, “O Ateneu”, que marcou sua entrada para a literatura Brasileira. Levou uma vida de diversas nuances boas e até mesmo ruins para o escritor, envolveu-se em varias polemicas e foi caluniado nos meios jornalísticos, diante desse cenário, entrou em um estado depressivo, abandonado pelos amigos, em 1895, no dia do natal, suicida-se.

PRINCIPAIS OBRAS REALISTAS:

  • Uma tragédia no Amazonas, 1880
  • Canções sem metro (Poesias)1881
  • As Jóias da Coroa (Romance) 1882
  •  O Ateneu, 1888
  • Microscópio (Contos) (não há data de publicação)
  • Agonia,1895 ( romance não concluído)

Outro artigo que recomendamos: LYDIA FAGUNDES TELLES

ARTUR AZEVEDO (1855-1908)

Artur nasceu em São Luis ( Maranhão), fundou a academia brasileira de letras (ABL) juntamente com seu irmão Aluizio de Azevedo, outro escritor bem conhecido pelas suas obras, foi dramaturgo, tradutor, jornalista, poeta, contista, ou seja, o escritor era de grande inteligência e sabia se adaptar em diversas vertentes da literatura, morreu em 1908.

PRINCIPAIS OBRAS REALISTAS:

  • Amor por anexins, 1872
  • A pele do lobo, 1877
  • O dote, 1907
  • A Princesa dos Cajueiros, 1880
  • O Liberato, 1881
  • A mascote na roça, 1882
  • O tribofe, 1892
  • Revelação de um Segredo, 1895
  • A Fantasia, 1896
  • A capital Federal, 1897

Veja mais em:


você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Secured By miniOrange