Conceito e Definição

Significado de intermitente


A palavra intermitente é proveniente do latim intermitette. Essa palavra é utilizada para descrever uma situação que tem interrupções, ou seja, para e recomeça após intervalos.

Existem várias vertentes para intermitente, por isso vamos considerar algumas delas nos tópicos seguintes.

Intermitente na Medicina

A palavra intermitente é utilizada na medicina para se referir, por exemplo, a uma febre que começa e para, prosseguindo em intervalos regulares. Também existe uma expressão denominada “pulso intermitente” que se refere a uma pulsação irregular, apresentada em intervalos.

Inventário intermitente

Em âmbito empresarial, a palavra inventário intermitente refere-se a um método de contabilização das movimentações das mercadorias empresariais. O sistema de inventário intermitente, mais conhecido como S.I.I é responsável por essa contabilização, armazenando o valor das mercadorias em armazém (ou no próprio estabelecimento) e o custo global das vendas no final do exercício econômico (período que pode ser mensal, trimestral ou semestral).

Rio intermitente

O rio intermitente refere-se a um curso de água não contínuo e periódico, cujo leito fica seco durante um período do ano e é estacional.

Claudicação intermitente

A claudicação intermitente é o nome da do para um determinado tipo de cãibra que ataca diretamente a panturrilha e pode se estender para o pé, coxa, quadril ou nádega (casos mais raros). Essa cãibra está geralmente relacionada com exercícios físicos e se dá pela insuficiência de circulação arterial nos membros inferiores.

Contrato de trabalho intermitente

Essa modalidade é nova no âmbito empresarial e é prevista na Lei da Reforma Trabalhista. Esse tipo de contratação refere-se a prestação de serviços que não é contínua, com períodos de inatividade determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador, exceto para os aeronautas, regidos por legislação própria.

Esse tipo de serviço é novo e está previsto em lei.

Jejum intermitente

No jejum intermitente, vemos um método de emagrecimento que intercala períodos de jejum com períodos de alimentação. O intuito dessa dieta é fazer com que o corpo consuma os estoques de gordura armazenados, gerando assim a perda de peso.

O jejum intermitente geralmente é feito utilizando 10 a 24 horas de jejum e pode ser realizado tanto diariamente quanto em dias alternados. Quando a pessoa está em período de jejum intermitente, ela pode consumir apenas líquidos, como água (com ou sem gás) e chás e café sem açúcar.

Apesar de ser eficaz, o método é contraindicado para todo tipo de pessoas e pode trazer riscos à saúde se não for feito com orientação adequada.

Acesse também essa outra matéria: Ressarcimento.

Transtorno explosivo intermitente

O TEI (Transtorno Explosivo Intermitente) é uma desordem comportamental com a principal característica de explosões de raiva e violência desproporcionais à situação. Alguns dos impulsos que a pessoa com TEI pratica são:

  • Gritos impulsivos
  • Acessos de fúria (reais ou infundados)
  • Transtorno de humor
  • Atos agressivos

Algumas pessoas que sofrem com o distúrbio relatam alguns tipos de mudanças afetivas após, durante, ou antes, de uma crise, como tensão, mudanças de humor, mudanças de energia.

O transtorno Explosivo Intermitente é considerado como uma doença, categorizada no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5).

Muitas vezes é difícil caracterizar facilmente uma pessoa com o distúrbio, visto que ele exibe algumas características similares aos transtornos do humor e o transtorno bipolar. Geralmente, esses tipos de explosões são rápidos e tem duração menor do que 1 hora.

A pessoa que comete os atos agressivos sente consequências tais como: sensação de alívio e, em alguns casos, prazer, mas muitas vezes seguido de remorso. Geralmente, a pessoa apresenta dificuldade de controlar tais impulsos agressivos e as situações podem ser diversas.

A pessoa que sofre com o distúrbio de Transtorno Explosivo Intermitente, tem atitudes desproporcionais ao tamanho da situação causadora. Ela grita, xinga, joga as coisas e se exalta. Por uma fração de segundos, ela sente que vai explodir e não consegue controlar sua fúria.

Essas atitudes são impulsivas, ou seja, não são premeditadas. Muitos portadores da síndrome descrevem os sintomas momentos antes de uma explosão, como: excitação crescente, palpitações, alto nível de tensão, aperto no peito, pensamentos raivosos etc., e isso os leva a agir impulsivamente.

Após a explosão, é comum os portadores da síndrome acharem que tinham razão para tamanha fúria e tentarem justificar seus atos. Mas quando conseguem pensar com clareza, sentem-se em um espiral de confusão mental com sintomas tais como: vergonha, culpa, tristeza e cansaço.

O sentimento que embasa esse tipo de explosão é a raiva. É normal uma pessoa sentir raiva e ter alguns acessos de fúria de vez em quando. Mas quando o sentimento fica fora de controle ela se torna destrutiva e prejudica relacionamentos, atrapalhando a qualidade de vida.

Muitos indivíduos que relatam ter a Síndrome TEI expressam raiva e fúria intensa, inadequada para a ocasião ou situação. Alguns dos sentimentos ligados a essa síndrome são: sarcasmo extremo, explosões verbais e amargura.

Geralmente, um indivíduo diagnosticado com TEI passa a desenvolver uma ideação paranoide, onde pode acontecer a despersonalização ou sintomas dissociativos transitórios. As pessoas que sofrem desse mal tentam se justificar de todas as formas possíveis, alegando que são normais e não doentes.

A negação também faz parte dos problemas da mente, porém, embora a pessoa negue que esteja passando por um transtorno dessa magnitude, se for feito um mapeamento cerebral, as mesmas descobrem o resultado e assumem a própria doença.

As pessoas com essa síndrome são conhecidas como tendo o pavio curto, pois não conseguem controlar seus impulsos de agressividade. Dessa forma, não conseguem mensurar as consequências de seus atos e desrespeitam as pessoas em geral.

Algumas características de pessoas que sofrem do distúrbio:

  • Pessoas que fazem ameaças,
  • Berram,
  • Xingam,
  • Fazem gestos obscenos,
  • Falam palavrões,
  • Desrespeitam leis de trânsito,
  • Atiram objetos,
  • Envolvem-se em brigas com a família,
  • Brigam no trabalho,
  • Cortam relações sociais e
  • Destroem objetos e propriedades.

É digno de nota, porém, que essas pessoas geralmente não atacam propositalmente e quando isso acontece, é puramente “impulsividade”, tanto que demonstram arrependimento, vergonha, culpa e tristeza e outras características que revelam que realmente agiram por impulso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *