Conceito e Definição

O que significa a palavra transgênero?


O que significa a palavra transgênero? Transgênero é a nomenclatura que define uma pessoa que não se identifica com o seu sexo biológico. Isso acontece quando uma mulher se sente presa no corpo de um homem e vice-versa. Biologicamente sua identidade está definida, porém mentalmente, o indivíduo se sente desconfortável com sua sexualidade.

Recentemente, o assunto voltou a ser falado com mais ênfase depois que a OMS (Organização Mundial da Saúde) tirou a característica das patologias mentais. Entenda um pouco melhor sobre o assunto no tópico abaixo.

Confira também: Ideologia de gênero.

O que significa transgênero

Segundo o dicionário Michaelis, a palavra transgênero pode ser definida como:

“Pessoa cuja identidade de gênero é oposta àquela do nascimento e que age como se pertencesse ao sexo oposto. Etimologia: voc comp do lat trans+lat genus, -ĕris”.

A primeira vez que o termo foi utilizado foi em 1965 por John Oliven, psiquiatra americano da Universidade de Columbia em seu livro: Higiene Sexual e Patologia. Desde então, o termo foi muito utilizado e se popularizou recentemente com as intensas discussões sobre identidade de gênero.

Existe hoje, no mundo inteiro, cerca de 1% de pessoas que se declaram transgênero. Existe uma base biológica que leva um individuo a ter a condição, porém não se sabe ao certo exatamente quais fatores levam uma pessoa a desenvolver essa característica.

Muitas pessoas entendem que ser transgênero é fruto da sociedade e meio em que a pessoa vive. Porém, existem crianças de quatro ou cinco anos que já não se sentem bem com seu sexo biológico e agem como alguém do sexo oposto.

Portanto, conclui-se que a transexualidade é alicerçada desde a infância e não necessariamente atribuída a fatores externos. É preciso mais estudos para definir em que ponto da vida essa condição se desenvolve na mente do individuo, mas é digno de nota que os primeiros sinais surgem desde a infância.

Mudanças na OMS

Infelizmente, muitas pessoas que se declaram transgênero, sofrem desde muito novas com a condição. Muitas delas sofrem bullying e nem sequer entendem porque se sentem tão desconfortáveis com a própria sexualidade.

Porém, a OMS modificou o CID relacionado à transexualidade. O CID (Classificação Internacional de Doenças) é uma codificação que padroniza quaisquer tipos de doenças, condições, distúrbios e causas de morte. Ela existe para que os países retenham informações estatísticas e epidemiológicas sobre sua situação sanitária e para que possam planejar programas de acordo com isso.

No CID da transexualidade, pessoas que não se identificavam com o sexo biológico eram vistas como doentes mentais. Por muito tempo, movimentos LGBT reivindicaram essa nomenclatura, assegurando que um paciente transgênero não é um doente mental.

Eles manifestavam a indignação contra a denominação e insistiam que a condição deveria entrar em comportamentos sexuais ao invés de doenças mentais. Com a mudança no CID, a pessoa transgênero ainda detém de uma classificação para que possa obter ajuda médica para sua condição, que pode incluir tratamentos hormonais, psiquiatras e outras modalidades médicas.

Transgênero é uma doença?

Antes, a condição era considerada como distúrbio de identidade de gênero. A nova definição mudou o nome para “incongruência de gênero”, e passa a ser classificada como “condições relacionadas à saúde sexual”.

Também é digno de nota que antes, a palavra usada para definir os transgênero era “transexualismo”. Esse sufixo utilizado – “ismo”- é proveniente de um termo grego que significa uma característica patológica.

Agora, a OMS classifica o termo como transexualidade, referindo-se a uma característica ao invés de uma patologia. Homossexualidade também passou por um processo semelhante em sua classificação. Antes, o nome dado para pessoas que se interessam pelo mesmo sexo era homossexualismo. A retirada do sufixo “ismo” e substituição por “dade” despatologiza a condição.

Agora, segundo o novo CID, ser transgênero é a “persistente incompatibilidade na percepção de um indivíduo de seu próprio gênero e o sexo designado” ao nascer.

Transgênero binário ou não binário

Existe uma confusão comum entre as pessoas referentes aos termos transgênero, binário ou não binário. A verdade é que não existe um padrão e em alguns casos não há relação entre os termos.

Porém, pessoas do gênero binário são aqueles que se identificam como homens ou mulheres. Já os gêneros não binários não se encaixam dentro dos padrões amplamente conhecidos. Podem se sentir ambos – homem e mulher dentro do próprio corpo.

Pessoas não binárias geralmente se encaixam na categoria transgênero, mas não são todos. O transgênero, ou não binário que se relaciona, por exemplo, com mulheres a vida toda até assumir a própria condição, pode não se interessar por homens, e vice e versa.

Assumir uma identidade feminina não significa que sua atração de repente mudará para homens. E o contrário também é verdadeiro. Transgênero e não binários podem se sentir atraídos por pessoas de vários gêneros, inclusive, heterossexuais.

Celebridades transgênero

Muitas celebridades e pessoas famosas decidiram assumir a identidade que se encaixa com seu jeito de pensar e viver. Podemos alencar inúmeras delas, mas as mais conhecidas são:

  • Laverne Cox – Atriz de Orange is the new black
  • Thammy Miranda – Filha da cantora Gretchen
  • Caitlyn Jenner – Socialite membro da poderosa família Kardashians
  • Luc Tas – Filho do apresentador Marcelo Tas do CQC
  • Andreja Peji – Modelo
  • Laerte Coutinho – Cartunista e chargista 
  • Roberta Close – Modelo
  • Chaz Bono – Ativista de Direitos LGBT, escritor, ator e músico. Chaz Bono é filho da cantora Cher.
  • Lea T – Modelo
  • Alexandra Billings, Trace Lysette e Ian Harvie, da série “Transparent”
  • Renee Richards – Capitão do time de tênis do seu colégio e se alistou na Marinha Americana. Hoje é oftalmologista.
  • Mya Taylor e Kitana Kiki Rodriguez, ndo filme “Tangerine”
  • Tarso Brant, da novela “A Força do Querer”
  • Candis Cayne, da série “Dirty Sexy Money”
  • Indya Moore e Mj Rodriguez, do filme “Saturday Church”
  • Harmony Santana, do filme “Gun Hill Road”
  • Brian Michael Smith, da série “Queen Sugar”
  • Daniela Vega, do filme “Uma Mulher Fantástica”

Em resumo, uma pessoa transgênero pode adquirir a condição logo nos primeiros anos de vida ou quando já está na fase adolescente, o que é mais raro. Mas segundo a Organização Mundial de Saúde, ela não é considerada mais como uma patologia.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *