Disciplinas, Figuras de Linguagem, Português

Catacrese


A figura de linguagem catacrese está presente em nosso dia a dia sem, às vezes, nem mesmo percebermos. Ocorre quando damos um nome a algo que não possui um ou que não conhecemos a real denominação.

A catacrese é classificada como figura de palavras. Como já explicamos aqui no blog, esse tipo de figura de linguagem se difere das figuras de pensamento e figuras sonoras pelo fato de envolver o sentido das palavras e expressões. Enquanto na figura de pensamento, é a ideia o principal fator e, na figura sonora, a palavra é que faz toda a diferença.

Dentro das figuras de palavras, vamos à comparação. Enquanto a metáfora, que utiliza outras palavras como sinônimos, e da metonímia, que estabelece como sinônimo algo que tenha envolvimento com o substantivo em questão, a catacrese nomeia o que não possui um nome próprio ou que desconhecemos o termo utilizado para identificar tal objeto.

A catacrese é quando utiliza nomes de outros elementos que sejam similares.

Por mais que o significado real da palavra catacrese seja “mau uso”, com o tempo, os termos foram sendo incorporados na língua portuguesa e aceita por passar de forma despercebida.

O que é Catacrese?

Vamos aos exemplos?

Exemplos de catacrese

Os exemplos abaixo são comumente usados em nosso cotidiano e, com certeza, você já ouviu ou utilizou essas expressões:

  • “Asa da xícara”;
  • “Céu da boca”;
  • “Braço do rio”;
  • “Pernas da mesa”;
  • “Manga da camisa”;
  • “Dentes e cabeça de alho”;
  • “Fio de óleo”;
  • “Batata da perna”;
  • “Cabeça de prego”;
  • “Braço da poltrona”;
  • “Árvore genealógica”;
  • “Cabeça de alfinete”;
  • “Boca da garrafa”;
  • “Boca do esgoto”;
  • “Corpo do texto”;
  • “Dentes da faca”;
  • “Cabeça de fósforo”;
  • “Menina dos olhos”.

Confira também: Este ou Esse?

Agora, vamos entender alguns deles. Como explicamos anteriormente, usamos elementos de aparência similar para identificar algo que não tem ou não sabemos como se chama.

No primeiro caso, “asa da xícara”, ocorre a falta de conhecimento do nome do objeto. E seria muito simples de resolver, afinal, o nome real é alça e está presente em outros objetos como panelas. Porém, em panelas e tigelas, ninguém chama de asa. Entretanto, devido à semelhança, foi rebatizada nas xícaras.

O teto da nossa boca é simplesmente chamado de céu da boca por remeter a um local que seria o limite acima de nós. Porém, o nome correto é palato. A onomatopeia ocorre devido à pouca familiaridade com o termo.

Os dentes da faca, por exemplo, além de se parecerem um pouco com nossos dentes, tem a mesma função. No entanto, o correto seria chamar de serras da faca.

No caso de cabeça de fósforo, dentes e cabeças de alho, não há um nome conhecido ou correto para o objeto.

Outros possuem significados que podem ser ditos “metafóricos”, como no caso da menina dos olhos. Ocorre que o nome científico é pupila. Podemos fazer uma alusão à pupila, que pode ser uma aluna queridinha e protegidos do mestre. O contrário também se aplica, pois uma aluna preferida pode ser chamada de menina dos olhos do mestre.

Esperamos ter esclarecido. Qualquer dúvida sobre catacrese, deixe nos comentários. Você pode conhecer outras figuras de linguagem ao continuar navegando pelo nosso blog.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *