Datas Comemorativas, Textos e Artigos

Folclore Brasileiro


País vasto com folclore encantador, a Unesco informou que folclore brasileiro é sinônimo de cultura do povo.

O significado dessa palavra vem do inglês, traduzindo podemos encontrar: “Conhecimento da Gente”.

Posso estar sendo muito patriota, mas acredito que não há cultura tão bela, misteriosa e diversificada como a do Brasil.

Podemos ir do Oiapoque ao Chuí e se deliciar com a infinidade rica de uma cultura mágica e envolvente. Onde ao pisar nesse país estará diante uma abundância de lendas, como por exemplo, em Oiapoque!

Em Oiapoque encontramos a lenda da Mani, ela foi uma indiazinha Tupi, que tinha uma beleza incomparável, todos se encantavam na tribo.

Porém cresceu fraquinha, sua saúde era frágil, não se alimentava direito.

Os pais de Mani muito preocupados pediram ajuda para o Pajé da tribo, mesmo com os feitiços do Pajé, Mani, não resistiu e faleceu.

Os pais abalados enterraram o corpo de Mani ao lado da Oca, um tempo depois nasceu uma linda planta, cheia de vida e com uma cor intensa.

Então a mãe resolveu cavar no local e viu que as raízes eram grossas, na cor de Mani, ou seja marrom por fora, e branco por dentro, e feliz ao ver aquela raiz viva ela gritou; “Mani Oca! Mani Oca! ”.

O que nascera ali era uma mandioca, que como diz a lenda ganhou o nome por causa de Mani!

Irmãos Grimm e o Folclore Brasileiro.

Irmãos Grimm e o Folclore Brasileiro.

Ainda que Alemães, os Irmãos Grimm têm muita influência no Folclore Brasileiro, ainda mais por ser um dos principais símbolos da literatura infantil, da fantasia e do terror.

Os irmãos Grimm foram grandes estudiosos de poesia clássica, constituíram um interesse por histórias infantis do povo.

Em sua coleção de contos podemos destacar: Cinderela, Branca de Neve, João e o Pé de Feijão, Rapunzel e Rumpelstiltskin.

Esses célebres autores acabaram descobrindo um interesse e uma  cultura específica do povo. A qual hoje a nomeamos de  Folclore.

Principais lendas do Folclore Brasileiro

É muito gostoso escutar antigas histórias, seja ela uma lenda brasileira ou de outra localidade específica, portanto, é fato que quando somos agraciados com bela histórias não a preço que pague.

Se fossemos registrar todas as lendas que pairam sobre o Brasil com certeza teríamos um gigantesco acervo, porém, vale ressaltar que algumas lendas estão no gosto popular e se espalham por todas as famílias de nosso país, vamos relembrar;

Boto

Essa é uma das principais lendas do folclore brasileiro, que se originou na região do Norte do país.

Sempre quando muitas mulheres apareciam misteriosamente grávidas pouco depois de festividades essa paternidade era assumida pelo boto galã.

A lenda conta que no início da festa o boto já queria sair da água, obviamente se transforma em homem, um jovem, galanteador, com roupas brancas. Porém com um grande nariz que escondia embaixo da aba do chapéu, então dançava e se divertia na festa, mas sempre jogava seu charme para alguma participante.

Depois que a seduz a convida para um passeio no fundo do rio, lá as engravida e depois some, quando não se sabe o pai, lá no Norte, se diz que é filho do boto!

Negrinho do pastoreio

O sul do Brasil é cheio de mistérios, bravura e romances, e o negrinho do pastoreio é uma lenda internacional, no Uruguai, argentina e no Brasil, mais precisamente no Rio Grande do Sul, a lenda do negrinho do pastoreio enche os ouvintes de paz e coragem.

A lenda de folclore brasileiro fala sobre um escravo órfão, apelidado de Negrinho, que mesmo com todos os maus tratos que sofria dizia que era protegido por sua madrinha: Virgem Maria.

Ele era muito maltratado pelo estancieiro, e certa vez dormiu e perdeu o pastoreio, como castigo o homem o colocou sobre um formigueiro para que as formigas o comessem.

Alguns dias depois o capataz retornou e encontrou o menino em pé, sem nenhum machucado ou marca, tirava ainda algumas formigas do rosto. De acordo com o folclore brasileiro ele estava ao lado da Virgem Maria.

Tornou uma representação dos escravos e campineiros das terras. Uma proteção ao povo trabalhador.

Mula sem cabeça

Mais uma lenda típica do Folclore brasileiro, portanto a mula sem cabeça não tem região específica a ser contada. Ninguém sabe ao certo sua origem.

Algumas pessoas acreditam que esta história teria sido criada pela igreja católica para assustar as mulheres.

Elas deveriam entrar na igreja e ver o padre não como um homem, mas como uma figura divina, a mulher que tivesse algum tipo de desejo com o padre seria transformada em mula sem cabeça.

Mula sem cabeça – Características:

O fogo que sai da cavidade, seria a representação do pecado.

Portanto para que tal mulher se salvasse seria somente possível se alguém tirasse seu cabresto ou arreio (um pouco difícil, pois ela não tem cabeça!).

Ou furando-a com uma agulha nunca usada para assim voltar ao seu estado normal.

Personagens populares do Folclore Brasileiro

Personagens populares do Folclore Brasileiro

O Brasil é um celeiro de figuras populares, estão presentes a muito tempo nas festividades e até mesmo na educação das crianças.

Desenhos animados e séries como o Sítio do Pica-pau Amarelo apresentaram o Saci Pererê.

De acordo com o Folclore brasileiro,  esse seria um menino que adorava peraltices. Garoto com apenas uma perna, a qual se locomovia por um pequeno redemoinho. Ele é sempre representado com um cachimbo na mão.

O Saci Pererê, na cultura popular é sinônimo de bagunça e confusão. Roubando e escondendo objetos por onde passa.

Quando aparecem casas remexidas no interior os moradores acreditam que seja a visita da criatura do Folclore brasileiro.

Cuca

A Cuca é uma famosa personagem, também personagem de Sítio do Pica-pau Amarelo, porém a sua origem é portuguesa.

De acordo com a lenda a Cuca seria  uma senhora velha e rabugenta em forma de jacaré, que adormece uma só vez a cada sete anos (por isso tanto mau humor) e se alimenta de crianças desobedientes!

Curupira

Ah… O curupira… Também forte personagem do folclore Brasileiro. Considerado o Demônio da floresta, possui o registro mais antigos na literatura brasileira, de 1560.

Protetor da flora e fauna, o curupira é o guerreiro da floresta e não deixa nenhum homem se aproveitar da mata, tem os pés virados para trás (para disfarçar seu paradeiro dos inimigos) e o cabelo vermelho fogo.

Sempre viaja em cima de seu Caititu (espécie de porco do mato)e tem o poder de ressuscitar animais com sua lança.

Brincadeiras populares

Alguns estudiosos catalogaram brincadeiras típicas do Brasil, a lista passa mais de cem tipos, mas vejamos alguns exemplos;

Adoleta, que consiste em ficar um ao lado do outro batendo a mão direita na esquerda e cantando a canção. O eliminado será o que receber o tapa na mão ao final de sílabas.

A famosa Amarelinha, é um jogo com quadrados e retângulos  riscado ao chão com giz. A pretensão é chegar ao último quadrado, pulando apenas com um uma perna.

Uma pedra é a indicação do próximo lugar que deve tentar pular com um pé só.

O esconde-esconde, é um jogo do folclore brasileiro que consiste em procurar seu parceiro, que deverá se esconder antecipadamente.

O que será escolhido para procurar os demais participantes deverá dar um tempo de 10 segundos para que os demais se escondam.

Aquele que conta deve procurá-los, mas sem deixar a base sozinha, pois se alguém chegar nela sem ser visto estará salvo.

Bobinho, conta normalmente com 3 participantes, dois nas pontas e um no meio, este último será o que deverá roubar a bola dos demais, por enquanto os outros farão o possível para impedir.

Crenças e músicas populares

Crenças e músicas populares

As crenças são passadas de geração em geração,  um exemplo, é  não poder comer leite junto com melancia, pois causa congestão. Ou descer da cama com o pé esquerdo, pois assim terá um dia de azar.

Deixar o chinelo virado para cima matará sua mãe (alguma mais sabia criou essa!)

Abrir o guarda-chuva dentro de casa dá azar.

Só defuntos dorme com os pés virado para a porta, assim como dormir com as mãos cruzadas na barriga.

É perigoso ficar na frente do espelho durante o trovão.

É possível descobrir o sexo do bebê com jogos do garfo ou da agulha.

A rica cultura Brasileira canta em versos tudo que ficou gravado na história do Brasil, e as brincadeiras são a essência de muitas, desde músicas infantis até marchinhas de carnaval, vamos ver algumas dessas canções.

Canção da Brincadeira Adoleta

Adoleta, le peti peti polá, les café com chocolá.

Adoleta. Puxa o rabo do tatu, quem saiu foi tu, puxa o rabo da panela, quem saiu foi ela, puxa o rabo do pneu, quem saiu foi eu.

Escravos de Jó

Os escravos de Jó, jogavam caxangá.

Tira, põe, deixa o zabelê ficar!

Guerreiros com guerreiros.

Fazem ziguezigue zá!

Guerreiros com guerreiros.

Fazem ziguezigue zá!

Marcha soldado

Marcha Soldado.

Cabeça de Papel.

Se não marchar direito.

Vai preso pro quartel.

O quartel pegou fogo.

A polícia deu sinal.

Acorda acorda acorda.

A bandeira nacional.

Atirei o pau no gato

Atirei o pau no gato-tô-tô.

Mas o gato-tô-tô.

Não morreu-reu-reu.

Dona Chica-cá.

Admirou-se-se.

Do berro, do berro que o gato deu.

Miau!

Abre alas

Ó abre alas

Que eu quero passar

Ó abre alas

Que eu quero passar

Eu sou da Lira

Não posso negar

Eu sou da Lira

Não posso negar

Ó abre alas

Que eu quero passar

Ó abre alas

Que eu quero passar

Rosa de Ouro

É que vai ganhar

Rosa de Ouro

É que vai ganhar.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *