Disciplinas, Português

Antônimo


Enquanto o sinônimo é uma palavra diferente com o mesmo significado de outra, o antônimo possui significado totalmente contrário a uma outra palavra.

Para cada palavra, há um antônimo. Para identificar um, é apenas necessário conhecer a palavra que exprima a ideia oposta a ela ou conhecer os prefixos que representem a oposição.

O oposto de uma palavra pode ser expressada pelos prefixos: des, anti, in, entre outros.

Para entender melhor, vamos aos exemplos.

Exemplos de antônimo

Os exemplos mais simples são esses:

  • Alto – baixo;
  • Gordo – magro;
  • Bonito – feio;
  • Claro – escuro;
  • Alegre – triste;
  • Bom – mau;
  • Dormir – acordar;
  • Trabalhador – preguiçoso;
  • Alegria – raiva;
  • Amor – ódio;
  • Felicidade – tristeza;
  • Forte – fraco;

Entre outros exemplos, temos também alguns que podem ter os antônimos compostos por prefixos como:

  • Feliz – infeliz;
  • Manual – antimanual;
  • Ético – antiético;
  • Organizado – desorganizado;
  • Estruturado – desestruturado;
  • Justo – injusto;
  • Responsável – irresponsável;
  • Remediável – irremediável;
  • Reversível – irreversível;
  • Fazer – desfazer;
  • Ativo – inativo;
  • Concórdia – discórdia;
  • Construção – desconstrução;
  • Indicação – contraindicação;
  • Informação – contrainformação;
  • Prova – contraprova;
  • Argumentos – contra-argumentos;
  • Prestígio – desprestígio;
  • Racional – irracional;
  • Real – irreal;
  • Decidido – indeciso.

Recomendamos também: Embaixo ou em baixo.

Como antônimos podem formar antíteses e paradoxos

De posse dessas listas com palavras opostas, podemos formar vários exemplos de frases compostas por duas figuras de linguagem que já mostramos por aqui: paradoxos e antíteses.

Para relembrar, a antítese aproxima palavras com ideias opostas, enquanto o paradoxo consiste em uma ideia aparentemente contraditória, mas que faz sentido.

Antíteses:

  • “Eu mostrei a prova do crime, mas eles levaram em consideração a contraprova”;
  • “Se vai discutir sobre religião, política e futebol comigo, melhore seus argumentos, pois tenho ótimos contra-argumentos”;
  • “Não sei como esse namoro pode dar certo. Eu sou feio e ela bonita, sou antipático e ela é simpática, sou introvertido e ela é extrovertida, sou gordo e ela é magra, sou pobre e ela é rica”;
  • “Amigo, esporte é assim: uma hora você ganha, a outra você perde. Uma hora você está alegre, na outra fica triste”;
  • “Decisões têm consequências. Indecisões têm mais ainda”;
  • “Está agindo como um animal irracional. Você precisa pensar direito e ser mais racional ao fazer escolhas”;
  • “Queria tanto que você fosse organizado igual ao seu irmão. Mas, no seu quarto, tudo é tão desorganizado que a gente se perde lá dentro”;

Em todas essas frases, há a figura de linguagem antítese que expressa ideias a partir de antônimos. Esse contraste é o que dá sentido ao texto.

Paradoxo:

  • “Até que ponto o Brasil vai parar com tanta corrupção? Para piorar, a nossa justiça é muito injusta;
  • “O presidente do Conselho de Ética e tão antiético”.

Os exemplos acima são paradoxais pelo fato de expressarem uma ideia, inicialmente, contraditória, mas que faz todo sentido.

No primeiro exemplo, a Justiça deve servir para fazer jus ao seu nome. Assim, não há nada mais contraditório do que uma justiça injusta, pois, como se pode interpretar na frase, a pessoa faz parte da população brasileira revoltada com a impunidade de corruptos absolvidos pelo sistema judiciário do país. Bem como o segundo exemplo, no qual um representante de uma entidade que visa cuidar da ética tem comportamentos contrários aos que deveria defender.

Gostou do assunto? Então, continue navegando pelo nosso blog e aprenda mais sobre a língua portuguesa.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *