<

Antônimo


Enquanto o sinônimo é uma palavra diferente com o mesmo significado de outra, o antônimo possui significado totalmente contrário a uma outra palavra.

Para cada palavra, há um antônimo. Para identificar um, é apenas necessário conhecer a palavra que exprima a ideia oposta a ela ou conhecer os prefixos que representem a oposição.

O oposto de uma palavra pode ser expressada pelos prefixos: des, anti, in, entre outros.

Para entender melhor, vamos aos exemplos.

Exemplos de antônimo

Os exemplos mais simples são esses:

  • Alto – baixo;
  • Gordo – magro;
  • Bonito – feio;
  • Claro – escuro;
  • Alegre – triste;
  • Bom – mau;
  • Dormir – acordar;
  • Trabalhador – preguiçoso;
  • Alegria – raiva;
  • Amor – ódio;
  • Felicidade – tristeza;
  • Forte – fraco;

Entre outros exemplos, temos também alguns que podem ter os antônimos compostos por prefixos como:

Kit de Alfabetização Só Escola
  • Feliz – infeliz;
  • Manual – antimanual;
  • Ético – antiético;
  • Organizado – desorganizado;
  • Estruturado – desestruturado;
  • Justo – injusto;
  • Responsável – irresponsável;
  • Remediável – irremediável;
  • Reversível – irreversível;
  • Fazer – desfazer;
  • Ativo – inativo;
  • Concórdia – discórdia;
  • Construção – desconstrução;
  • Indicação – contraindicação;
  • Informação – contrainformação;
  • Prova – contraprova;
  • Argumentos – contra-argumentos;
  • Prestígio – desprestígio;
  • Racional – irracional;
  • Real – irreal;
  • Decidido – indeciso.

Recomendamos também: Embaixo ou em baixo.

Como antônimos podem formar antíteses e paradoxos

De posse dessas listas com palavras opostas, podemos formar vários exemplos de frases compostas por duas figuras de linguagem que já mostramos por aqui: paradoxos e antíteses.

Para relembrar, a antítese aproxima palavras com ideias opostas, enquanto o paradoxo consiste em uma ideia aparentemente contraditória, mas que faz sentido.

Kit Educação Especial

Antíteses:

  • “Eu mostrei a prova do crime, mas eles levaram em consideração a contraprova”;
  • “Se vai discutir sobre religião, política e futebol comigo, melhore seus argumentos, pois tenho ótimos contra-argumentos”;
  • “Não sei como esse namoro pode dar certo. Eu sou feio e ela bonita, sou antipático e ela é simpática, sou introvertido e ela é extrovertida, sou gordo e ela é magra, sou pobre e ela é rica”;
  • “Amigo, esporte é assim: uma hora você ganha, a outra você perde. Uma hora você está alegre, na outra fica triste”;
  • “Decisões têm consequências. Indecisões têm mais ainda”;
  • “Está agindo como um animal irracional. Você precisa pensar direito e ser mais racional ao fazer escolhas”;
  • “Queria tanto que você fosse organizado igual ao seu irmão. Mas, no seu quarto, tudo é tão desorganizado que a gente se perde lá dentro”;

Em todas essas frases, há a figura de linguagem antítese que expressa ideias a partir de antônimos. Esse contraste é o que dá sentido ao texto.

Paradoxo:

  • “Até que ponto o Brasil vai parar com tanta corrupção? Para piorar, a nossa justiça é muito injusta;
  • “O presidente do Conselho de Ética e tão antiético”.

Os exemplos acima são paradoxais pelo fato de expressarem uma ideia, inicialmente, contraditória, mas que faz todo sentido.

No primeiro exemplo, a Justiça deve servir para fazer jus ao seu nome. Assim, não há nada mais contraditório do que uma justiça injusta, pois, como se pode interpretar na frase, a pessoa faz parte da população brasileira revoltada com a impunidade de corruptos absolvidos pelo sistema judiciário do país. Bem como o segundo exemplo, no qual um representante de uma entidade que visa cuidar da ética tem comportamentos contrários aos que deveria defender.

Kit Educação Especial

Gostou do assunto? Então, continue navegando pelo nosso blog e aprenda mais sobre a língua portuguesa.