Datas Comemorativas, Educação Infantil, Projetos Educativos

Projeto Dia da Escola


Confira algumas sugestões para o seu Projeto Dia da Escola – 15 de Março.

15 de março, este é o dia que se comemora anualmente no Brasil o DIA DA ESCOLAEsta data celebra uma das instituições de maior importância para a formação educacional da população: a escola. O dia da escola, diferente do que muitos pensam, não é considerado um feriado nacional.

É na escola que o indivíduo aprende e põe em prática vários conceitos essenciais para manter uma vida em sociedade. Além disso, também é na escola que as pessoas começam a desenvolver o senso crítico, importante para a construção de uma comunidade politizada e menos alienada.

Veja também:

Projeto Dia da Escola – Sugestões de Atividades diversas

  • Colorir desenhos sobre a escola;
  • Produção de Texto sobre a escola: (O que você mais gosta da escola?);
  • Monte lembrancinhas junto com os alunos em sala de aula
  • Confeccione um mural ou painel junto com os alunos;
  • Junte a turma e debata sobre (como pode ajudar a escola a ser um lugar melhor);
  • Debater sobre a importância da escola em uma roda de conversa;

Projeto Dia da Escola – Minha escola e meus amiguinhos

Projeto Dia da Escola - Minha escola e meus amiguinhos
Projeto Dia da Escola – Minha escola e meus amiguinhos

Por serem as faixas de idades menores, as com mais dificuldade de adaptação é necessário todo um trabalho, que leve a criança a perceber o real significado de estar na escola, principalmente nos aspectos de: fazer novas amizades (socialização) e descobrir os diferentes espaços da área escolar, vivenciando neles brincadeiras e construção de conhecimentos.

OBJETIVOS:

  • Facilitar a adaptação da criança na escola.
  • Tornar o processo de socialização mais rápido.
  • Despertar o interesse da criança pelo dia-a-dia na escola, facilitando o seu desenvolvimento em todos os aspectos: físico, emocional e intelectual.

DETONADOR:

  • A história “ Pinóquio”.

PROBLEMATIZAÇÃO;

Já sabemos:

  • nome de alguns colegas.
  • nome de alguns profissionais, inclusive a nossa professora.
  • algumas das nossas características como ser humano.

Queremos saber:

  • quem são os novos amigos?
  • quem são os profissionais que trabalham em nossa escola e o que fazem?
  • quem somos e como somos? ( características físicas e sociais )

ÁREAS DO CONHECIMENTO: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências Naturais, Ciências Sociais e Artes.

RECURSOS:

  • brinquedos afetivos e pedagógicos;
  • tintas, papéis, canetinhas, lápis coloridos, pincéis;
  • tesoura, cola, massa de modelar;
  • livros, gibis, revistas, jornais, folhetos de propagandas;
  • e outros materiais e objetos que serão descritos nas atividades.

AVALIAÇÃO:

  • Observação da criança durante as atividades.
  • Anotações no registro.
  • Trabalhos realizados pelas crianças.
  • Diálogo com a criança e seus familiares.
  • Reuniões com os pais.

ATIVIDADES:

1- Contar a história Pinóquio, destacando a importância da escola. Conversar sobre ela, estabelecendo comparações entre elas (crianças) e o boneco.

  • Contei a história e depois conversamos sobre ela. As crianças já conheciam essa história e as vezes queriam antecipar algum detalhe. Assim como o boneco recebe um nome nós também recebemos o nosso.

2- Fazer a apresentação ( cada criança fala seu nome, inclusive a professora) observando se há nomes iguais.

  • Fizemos a apresentação e enquanto eles falavam os nomes, fui escrevendo-os na lousa. As crianças, perceberam que há dois Vinícius na turma.

3- Fazer uma brincadeira para ajudar as crianças a identificarem os amigos, principalmente os novos.

  • Fizemos uma adaptação da brincadeira “lenço-atrás”. Toda vez que uma criança deixava o “lenço” atrás da outra e corria, o nome dela ia sendo repetido pela turma com acompanhamento de palmas. Todas participaram inclusive a professora.

4- Fazer um passeio pela escola, conhecendo seus espaços, os profissionais que ali trabalham e suas respectivas funções.

  • – A maioria dos profissionais era conhecida pelas crianças. Não sabiam o nome e a função da diretora.

5- Fazer uma lista das coisas que tem na escola.

  • – As crianças falaram: comida, , brinquedos, massinha, tinta, giz de lousa, gira-gira, escorregador, balanço, baldinhos, salas, portas, livros, paredes, quadros, papel, crianças e adultos.

6- Pesquisar em revista fotos e figuras que lembram as coisas que tem na escola. Pedir que recortem, e colem em folhas de sulfite para depois montar um livrinho “ Tem na escola”.

  • – Figuras encontradas pelas crianças: crianças (brincando, escrevendo, balançando, no colo dos pais e dormindo), mochilas, mamadeiras, armário, xícaras, mesa, cadeiras, árvore, livro, peças sanitárias, comida, escova de cabelo, cozinheiro, televisão e computador. Na hora de encontrar as figuras eles acabaram encontrando coisas que não tinham sido ditas quando fizemos a lista.

7- Conversando sobre o porquê de estar na escola, a importância da escola e o principal elemento da escola “a criança”. Estabelecer comparações de “Pinóquio”, o boneco, com um menino de verdade (no qual ele se transforma depois).

  • As crianças perceberam que ele foi feito de madeira e que um menino de verdade (toda criança) é feito de carne, ossos, pele e sangue. Ainda fizemos uma comparação, estabelecendo diferenças entre os meninos e as meninas.

8- Conversa sobre o que podemos e o que não podemos fazer na escola. Estabelecendo regras.

  • Fizemos uma lista do que as crianças “podem” e “não podem” fazer na escola. Elas foram falando, enquanto eu escrevia na lousa.

“Podem” fazer na escola: desenhar, brincar, comer, tomar banho e dormir (se ficar o dia todo), ver livros, dançar, cantar, escrever, pintar e modelar.
“Não Podem” fazer na escola: brigar, jogar areia na calçada, gritar nas salas, pátio e corredor, sujar a escola, quebrar os brinquedos, correr nas salas, pátio e corredores, sair da sala sem autorização e jogar brinquedos e água.

9 – Fazer o desenho de uma criança, usando uma delas para fazer o contorno do seu corpo. Depois acrescentar os detalhes como: cabelos, olhos, orelhas, boca etc. Trabalhando o esquema corporal.

  • Fiz o desenho (contorno) da Camila e fui acrescentando os detalhes conforme as crianças iam falando. Pedi que fossem nomeando cada parte do corpo. Conversamos sobre o tronco (conceito desconhecido das crianças) ao qual ficam ligados: cabeça, braços e pernas.

10 – Desenhar o esquema corporal.

  • As crianças desenharam com canetinhas a colega Camila. Alguns tiveram mais dificuldade. A Gabriela é quem desenhou com maior riqueza de detalhes.

11- Contar uma história que mostre a importância e utilidade das partes do nosso corpo ( mãos, olhos, boca etc.).

  • Contei a história “O menino que via com as mãos”. Essa história fala da falta da visão e do uso das mãos para compensá-la.

12- Explorar os vários aspectos da história.

  • Conversamos sobre a importância das mãos tanto para quem tem todos os órgãos do sentido perfeitos, como para os que os têm deficientes.
  • Os deficientes visuais necessitam do tato para reconhecer objetos, pessoas e lugares, e os surdos-mudos para se comunicar. Falei da escrita em Braille e dos sinais dos surdos-mudos.
  • Fizemos uma lista do que podemos fazer com nossas mãos. As crianças falaram: pegar coisas, brincar, abrir (torneira e porta), bater palmas, desenhar, pintar, ver livros e comer.
  • Colocamos as mãos sobre os olhos para imaginar a situação do menino da história.
  • Utilizando a “caixa surpresa” (brinquedo pedagógico) as crianças tocaram objetos dentro dela (sem ver) ,identificando apenas com o tato.
    Previamente coloquei cinco círculos de diferentes tamanhos na caixa. “Cinco”,pois nossas mãos têm cinco dedos e que são de tamanhos diferentes. As crianças perceberam que eram círculos, só que disseram rodas. Também identificaram os tamanhos.

13 – Desenhar uma ou mais parte do corpo, trabalhada com a história.

  • Desenhei o contorno das mãos das crianças e elas as coloriram com giz de cera.
  • Contamos a quantidade de dedos e de círculos e comparamos o tamanho dos dois.

Veja mais: Atividades sobre Dia da Escola

CONCLUSÃO:

Percebi que depois desse projeto as crianças estão mais atentas e participativas. A turma é interessada, caprichosa e conseguiu realizar todas as atividades propostas. Elas reconhecem a maioria dos conceitos trabalhados, estão mais comunicativas e algumas que no início se recusavam a participar das atividades, hoje demonstram interesse e entusiasmo.


Projeto Dia da Escola – Eu e minha escola

Projeto Dia da Escola - Eu e minha escola
Projeto Dia da Escola – Eu e minha escola

Por serem pertencentes à primeira a etapa do ensino fundamental, as crianças da educação infantil podem apresentar maior dificuldade de adaptação, portanto é necessário todo um trabalho, que leve a criança a perceber o real significado de estar na escola, principalmente nos aspectos de: fazer novas amizades (socialização) e descobrir os diferentes espaços da área escolar, vivenciando neles brincadeiras e construção de conhecimentos.

Além disso, nesse primeiro momento é importante que a criança conheça seus colegas e a si própria, que a educadora conheça as potencialidades e as necessidades de cada criança e que a família se sinta segura com a instituição de ensino. Dessa forma, este projeto deseja promover a interação escola/família, educador/aluno e aluno/aluno, a fim de estimular o desenvolvimento de sentimentos como carinho, amor e respeito ao próximo tanto em casa, como na escola.

Considerando o período de adaptação decorrente na escola e que, tanto as crianças, quanto a escola e a família estão se conhecendo, este tema será desenvolvido a fim de tentar identificar e superar os desafios, trabalhando na criança a afetividade e a importância deste sentimento no convívio familiar e escolar, buscando na interação entre ambas as partes, uma formação das crianças como seres cidadãos.

OBJETIVO

Proporcionar as crianças maior conhecimento sobre o ambiente escolar, respeitando as regras e rotinas institucionais, assim como a individualidade de cada um dentro da comunidade escolar.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Conhecer a rotina da turma;
  • Trabalhar, junto à turma, as regras de convivência;
  • Conhecer as particularidades de cada componente do grupo;
  • Respeitar as diferenças;
  • Facilitar a adaptação da criança na escola;
  • Tornar o processo de socialização mais rápido;
  • Despertar o interesse da criança pelo dia-a-dia na escola, facilitando o seu desenvolvimento em todos os aspectos: físico, emocional e intelectual;
  • Fazer com que a criança tenha zelo pelo patrimônio escolar;
  • Permitir que as crianças conheçam todos os ambientes da escola;
  • Oferecer materiais diversos para que possam expor sua criatividade;
  • Permitir que a família participe do processo de iniciação da vida escolar das crianças;
  • Valorizar os materiais escolares de uso individual e coletivo;
  • Introduzir as noções de medida de tempo, com a utilização de calendário;
  • Representar situações vivenciadas, através da verbalização e expressão corporal;
  • Utilizar o movimento como forma de comunicação, nas situações cotidianas ou em brincadeiras;
  • Participar de jogos e brincadeiras que estimulem a socialização e o convívio saudável;
  • Identificar e valorizar o papel de cada um dentro do grupo social em que convive;
  • Valorizar e incorporar atitudes que visem à manutenção de espaço onde circula;
  • Participar de atividades que envolvam produções coletivas;
  • Valorizar a prática de atitudes cotidianas que visem à manutenção da saúde;
  • Fazer uso da linguagem oral para conversar, brincar, comunicar e expressar desejos, necessidades, opiniões, ideias, preferências e sentimentos;
  • Relatar as vivências nas diversas situações do cotidiano;
  • Despertar a autonomia.

CONTEÚDOS

  • Artes visuais através do uso de diferentes técnicas de expressão;
  • Identidade e autonomia através da percepção da diferença entre os pertencentes do grupo e do cuidado com o material próprio e com o corpo.
  • Matemática, através da inserção do uso dos painéis.
  • Movimento;
  • Música;
  • Sociedade; e
  • Linguagem oral e escrita.

MATERIAIS

  • Brinquedos afetivos e pedagógicos;
  • Tintas, papéis, canetinhas, lápis coloridos, pincéis;
  • Tesoura, cola, massa de modelar;
  • Livros, gibis, revistas, jornais, folhetos de propagandas; e
  • Outros materiais e objetos que serão descritos nas atividades.

AVALIAÇÃO DO PROJETO

  • Observação da criança durante as atividades;
  • Anotações em registros;
  • Trabalhos realizados pelas crianças;
  • Diálogo com a criança e seus familiares;
  • Reuniões com os pais.

Projeto Dia da Escola para Maternal

O objetivo deste projeto é ajudar no desenvolvimento da criatividade e da expressão de carinho e respeito de cada aluno, alem de aprender compartilhar.

Excelente sugestão para trabalhar coordenação motora.

Projeto Dia da Escola para Maternal
Projeto Dia da Escola para Maternal

Sugestões de Brincadeiras para toda semana:

1º Dia:

– Amarelinha
– Barra-Manteiga
– Passa Anel
– Dentro e Fora
– Cinco Marias
– Cabo de Guerra
– Escolha a Mão
– Mamãe posso ir?
– Telefone sem fio
– Fui a feira

2º Dia:

– Pular Sela
– Bandeirinha
– Adoletá
– Corrida com Bola
– Corrida dos Animais
– Guerra de Bolas
– Pular Corda
– Elefantinho Colorido
– Pé de Lata
– Agacha-agacha

3° Dia:

– Batata Quente
– Se eu fosse você
– Caixinha de surpresa
– Jogo dos Rótulos
– Passa Bola
– Quatro Cores
– Morto Vivo
– Dança da Cadeira
– Alguém muito especial
– Alvo Surpresa

4º Dia:

– Cabra Cega
– Corre Cotia
– Esconde-esconde
– O Pulo da chegada
– Pega-pega
– Quente e frio
– Peteca
– Jogo da bexiga

5º Dia:

– Boca de Forno- De Havana veio um barco – Batatinha Frita- Chicotinho Queimado- Estátua- Bom barqueiro ou passarás
– Queimada
– Que bicho sou eu
– Mímica
– Acertar a lata


Projeto Dia da Escola

Projeto Dia da Escola
Projeto Dia da Escola

Para os encaminhamentos aqui sugeridos, foram criadas ilustrações a fim de problematizar algumas das atividades que poderão ser desenvolvidas.

Atividades sobre Dia da Escola

A escola que liberta – Ilustração 1

Ilustração 1 – Esta ilustração pretende ressaltar a escola enquanto instituição social que forma cidadãos críticos, preparando-os não apenas para o mercado de trabalho e universidades, mas sobretudo para a vida e o desenvolvimento pessoal, profissional e social. A partir da imagem podemos trabalhar algumas questões:

Que elementos podemos identificar na imagem? (ex: alunos, professores, escola,
livros, leitura, materiais…)

  • O que representa os alunos voando? (ex: liberdade, conhecimento, imaginação, desenvolvimento, poder…)
  • Qual a relação desses elementos ao fato de os alunos conseguirem voar?

(discussão dirigida conforme encaminhamentos e reflexões dos alunos…)

Esta ilustração poderá subsidiar uma discussão inicial sobre a importância da escola em nossas vidas, a função que desempenha e as possibilidades que oferece.

Ilustração 2 – A escola enquanto instituição pública, patrimônio histórico, pertencente à comunidade.

Ilustração 3 – A escola como bem público. Remete aos cuidados que devemos ter com a escola.

Atividades sobre Dia da Escola

Ilustração 2 e 3

As duas ilustrações possibilitam discutir, resgatar e socializar a escola enquanto patrimônio sócio-histórico, bem como valorizar a comunidade e sua relação com a escola. As atividades poderão envolver uma ou mais disciplinas e demais segmentos da escola, tendo como foco a valorização da constituição histórica da escola como parte da comunidade e do histórico das famílias. A partir das ilustrações poderão ser trabalhadas as seguintes questões:

  • De onde vem o nome de sua escola?
  • Há um símbolo, um hino, um patrono da escola? Quais seriam suas origens?
  • Quando a escola foi criada? Nós comemoramos seu aniversário?
  • Existem pessoas que passaram por ela e que hoje desenvolvem ações e trabalhos públicos (entendam aqui: escritores, cientistas, políticos, músicos etc.) importantes para nossa sociedade?
  • Por que a escola é considerada um patrimônio público?
  • Que cuidados devemos ter com nossa escola?

Essas questões poderão desdobrar diferentes atividades – de pesquisa, de produção, artísticas, etc.

Encaminhamentos possíveis:

  • Palestras e conversas na escola – As pessoas identificadas pelos alunos, por meio de pesquisa ou outras atividades, poderão ser convidadas para uma conversa informal ou palestra, dependendo da função que desempenham.
  • Memorial da escola/pesquisa de campo – Poderá ser construído colaborativamente, por meio de pesquisas e informações coletadas pelos alunos, um memorial da escola, com fotos, fatos e acontecimentos históricos. Os alunos poderão realizar pesquisas direcionadas à comunidade escolar (entorno da escola), bem como realizar visitas a locais que possuem relação com a história da escola. Este memorial poderá ser disponibilizado de forma digital, aproveitando assim o site da escola.
  • Participação da comunidade – Ao resgatar a história da escola, resgata-se também a memória das famílias que por ali passaram, bem como a memória do entorno, que se constitui na comunidade enquanto parte da construção dessa história. Assim, a comunidade escolar poderá ser convidada para contar histórias, causos, relatos de vida, a fim de valorizar o saber dos familiares dos alunos.

Outras possibilidades:

1 – Propor aos alunos que entrevistem seus pais e familiares. O objetivo é identificar se estas pessoas conhecem a história da escola, os fatos importantes que aconteceram nela, ou a partir dela, as conquistas, os profissionais e suas dependências (esse pode ser um bom momento para conversar com os alunos sobre quem são os profissionais da escola – diretores, professores, etc. -, e funções que desempenham).

2 – Elaboração de uma releitura da imagem, representando sua escola por meio de ilustração (desenho) produzida por meio do software GIMP ou outro editor de imagens; ou ainda a produção de um texto, jornal, poesia ou música. As escolas podem utilizar seu site ou o site do NRE para divulgação dos trabalhos.

Fonte: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *