Disciplinas, Física

Associação de resistores


O sistema elétrico em qualquer categoria é um mundo de descobertas. O gênio Nicola Tesla que o diga.

A eletricidade é o principal combustível que move o mundo e tudo é gerado como um dominó: uma peça precisa do trabalho da outra.

Tudo é energia, a pergunta é: de que forma utilizá-la? Aqui neste artigo, vamos descobrir juntos como funciona a associação de resistores.

Associação de resistores: o que é um resistor?

O resistor é um dispositivo que tem por objetivo transformar a energia elétrica em energia térmica. Isso se dá através do efeito joule a fim e deixar esta energia condicionada somente em um circuíto.

O resistor tem uma dinâmica oposta a passagem de corrente elétrica sobre ele que é calculada em ohm.

Efeito joule

O efeito joule surge quanto a corrente eletrica percorre um resistor e este converte a energia elétrica em térmica. E o resistor dissipa a energia na forma de calor.

Desta forma, a potência total do sistema diminui. Quando ocorre este aquecimento de resistor por esta passagem da corrente elétrica, ocorre o efeito joule. O efeito joule é medido em volts.

A lei de Ohm

A lei de Ohm diz que a resistência elétrica é determinada entre o potencial elétrico e a corrente elétrica. Nesta lei, o potencial elétrico é o resultado da resistência pela corrente elétrica.

Através da lei de Ohm é possível calcular vários elementos da física como tensão, corrente, resistência elétrica dentre outros.

A 1ª lei de Ohm

Esta lei afirma que a corrente elétrica, representada por l, é de forma proporcionalmente direta à diferenca de voltagem nos terminais do condutor, simbolizado por V.

Mas isto só será considerado verdadeiro quando existe um condutor ôhmico, que é o que mantém seu valor de resistência constante quando mantido também em temperaturas constantes.

Mas na prática isso não ocorre, pois a temperatura varia devido à dissipação de energia.

2ª lei de Ohm

A segunda lei de Ohm demonstra que o valor da resistência elétrica de um certo condutor é proporcional ao seu comprimento L, e de forma inversa em sua área A.

Isto quer dizer que quanto maior for um resistor, maior será o material resistivo que a corrente elétrica tem que atravessar, fazendo aumentar a queda de potencial.

Se a área percorrida for maior, maior será a resistência sofrida pelas cargas.

Resistência equivalente

A resistência equivalente é o valor da resistência que quando sozinha pode substituir todas as demais resistências sem alterar o todo associado ao circuito.

Cálculo de Ohm

Para fazer os cálculos da tensão em que cada resistor está sendo submetido, é usada a primeira lei de Ohm:

U = R . i

U = diferença de potencial elétrico(ddp), medida de volts(V)

R = resistência, medida em Ohm

i = intensidade da corrente elétrica, medida em ampére.

A associação de resistores

Em um único circuito é possível fazer uma rede de resistores distintamente interligados, chamado associação de resistores.

Esta associação resolve o problema de quando precisamos de mais resistência quando um resistor apenas, não é suficiente. Existem vários tipos deste sistema. Veja à seguir.

Associação de resistores em série

Nesta associação os resistores são ligados um após o outro para que percorram uma única corrente elétrica.

A diferença de potência (ddp – unidade de corrente) total quando aplicada do ponto A ao B, se iguala a soma das ddps de cada resistor.

A resistência chamada equivalente para esse tipo de associação, é resultado da soma de todas as resistências que estão fazendo parte do circuito.

É importante saber que a resistência equivalente desta forma de circuito sempre será maior que o valor de um resistor apenas.

Associação em paralelo

Na associação de resistores em paralelo, os resistores estão ligados um ao lado do outro. Isto faz com que estes resistores se submetam a mesma diferença de potencial.

A totalidade da corrente elétrica que está em circulação por este tipo de circuito é igual à soma da corrente elétrica que percorre e atravessa cada um dos resistores.

O valor da resistência equivalente desse tipo de circuíto sempre vai ser menor que o valor de qualquer uma das resistências que compõem este sistema de circuítos.

Associação de resistores mista

Esta associação de resistores é a mistura entre associação em série e associação em paralelo.

Para encontrar a resistência equivalente desta associação, é necessário observar os tipos de associações em separado esuas características.

Para calcular este sistema em sua totalidade, primeiramente é necessário calcular em paralelo. Com este valor estabelecido, considere como se fosse um resistor em série.

Curto-circuíto

Quando um fio condutor desprezível estiver ligando os terminais de um resistor em um circuíto elétrico, a d.d.p destes terminais torna-se nula.

Esta condição demonstra curto-circuíto, não percorrendo ou sendo atravessado por toda corrente elétrica. Fazendo com que toda corrente elétrica do circuíto seja desviada para o condutor dessa resistência nula. É como se o resistor não tivesse nenhuma ligação com o circuíto.

Associação de resistores em vídeo

Acompanhe outros artigos do nosso blog de FÍSICA clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *