Lendas folclóricas da região sudeste

A Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos e fazem parte do nosso folclore brasileiro. Conheça alguns personagens populares da região Sudeste.


Conheça os Mitos e Lendas folclóricas da região sudeste.

Podemos dizer que os mitos e lendas brasileiras fazem parte da nossa cultura e não são necessariamente mentiras e muito menos verdades absolutas.

Algumas lendas são conhecidas de norte a sul do nosso pais, e outras são mais locais e nesta postagem traremos um pouco sobre as principais Lendas folclóricas da região sudeste, confira:

Lendas folclóricas da região sudeste

Lendas folclóricas da região sudeste

Entre diversas Lendas folclóricas da região sudeste, existentes em nosso cultura, podemos destacar estes:

  • Onça maneta
  • Cuca 
  • Lobisomem
  • Bicho Papão
  • Procissão das almas
  • Mão cabeluda
  • Caipora e Curupira
  • Diabinho da garrafa
  • Quibungo 
  • Saci-Pererê
  • Mula- Sem- Cabeça

Lenda da Onça maneta

É uma lenda das regiões Sudeste, Norte e Centro-Oeste, de uma Onça que ao lutar com caçadores acabou perdendo uma pata dianteira, mas com isso ela passou a ter muita força e raiva das pessoas que ela encontrava na floresta. Ela vive escondida nas matas e é muito difícil de ser vista. Quando ela ataca é bote certo! Quase ninguém consegue escapar! Pode ser bicho, boiada ou homem, que nada consegue fazer com que ela recue e fuja.

Lenda da Cuca 

A Cuca é uma famosa personagem, também personagem de Sítio do Pica-pau Amarelo, porém a sua origem é portuguesa.

De acordo com a lenda a Cuca seria  uma senhora velha e rabugenta em forma de jacaré, que adormece uma só vez a cada sete anos (por isso tanto mau humor) e se alimenta de crianças desobedientes!

Lenda do Lobisomem

Com origem Europeia criada no século XVI, a Lenda do Lobisomem retrata um monstro muito violento que se alimenta de sangue.

A lenda contava que se uma mulher tem sete filhas e mais um homem, sendo ele o ultimo ao nascer, provavelmente ele será um LOBISOMEM. É claro que esta é apenas uma das versões contadas. Existe outra também muito popular onde diziam que as crianças que não foram batizadas poderiam se tornar o Lobisomem.

De dia homem e em noites de lua cheia Lobisomem. Assim é contada esta lenda folclórica.

Lenda do Bicho Papão

Quem não se lembra do Bicho Papão que fica em cima do telhado, como diz a canção de ninar? Mundialmente conhecido, em cada canto do mundo ele escolhe uma modalidade de castigo para crianças malcriadas: nos Países Baixos, Zwart Piet (Pedro negro), como é chamado, joga as crianças no Mar Negro; em Luxemburgo seu nome é Housecker, que leva as crianças no saco, dando palmadas no bumbum. Atualmente, nem mete tanto medo assim…

Lenda da Procissão das almas

Mão cabeluda

É um fantasma que anda vestido todo de branco e possui as duas mão cheias de cabelo, ele é um dos grandes assustadores das crianças que costumam fazer xixi na cama.

Caipora

lenda folclórica da caipora tem origem indígena desde a época do descobrimento. Índios e gesuritas o chamavam de caiçara (o protetor da caça e dos animais).

Caipora é um anão com cabelos vermelhos, com pelos e dentes verdes. Como protetor das águas e dos animais, costuma punir todo e qualquer tipo de agressor da natureza e o caçador que mata por prazer.

Há quem diga que caipora é prima de curupira.

Lenda do Curupira

Baixinho, com cabelo vermelho e os pés virados para trás, o curupira está sempre confundido o caçadores com pegadas que levam para a direção errada.

A sua origem é Tupi Guarani e tem o significado de (Corpo de Menino).

Ah… O curupira… Também forte personagem do folclore Brasileiro. Considerado o Demônio da floresta, possui o registro mais antigos na literatura brasileira, de 1560.

Protetor da flora e fauna, o curupira é o guerreiro da floresta e não deixa nenhum homem se aproveitar da mata, tem os pés virados para trás (para disfarçar seu paradeiro dos inimigos) e o cabelo vermelho fogo.

Sempre viaja em cima de seu Caititu (espécie de porco do mato)e tem o poder de ressuscitar animais com sua lança.

Lenda do Diabinho da garrafa

A criatura é fruto da ambição humana desmedida, a busca dos desejos a qualquer custo. O Diabinho da Garrafa é conseguido por meio do pacto demoníaco.   

A lenda é muito antiga, foi trazida ao Brasil pelos colonizadores, com número maior de registros em Minas Gerais e Bahia.

Conhecido também como Famaliá ou Cramulhão, ele tem em média 15 cm e parece um lagarto. Para consegui-lo é necessário adquirir um ovo de galinha ou galo fecundado pelo Diabo, que pode ser encontrado durante o período da quaresma.

Deve ser levado a uma encruzilhada na primeira sexta-feira seguinte, antes da meia-noite, e aguardar o dia amanhecer.

Depois carregá-lo para casa embaixo do braço esquerdo, e em quarenta dias o ovo é chocado, onde deve ser colocado rapidamente em uma garrafa e trancafiado bem. Daí em diante o diabinho realizará os pedidos de seu dono até a morte deste, e na ocasião levará a alma ao inferno com ele.

Lenda do Saci

A lenda do Saci é uma das mais difundidas no Brasil, segundo muitos autores, o Saci é um menino travesso de cor negra que possui apenas uma perna, usa uma carapuça ou gorro vermelho na cabeça e fica o tempo todo fumando cachimbo, costuma correr atrás dos animais para afugentá-los, gosta de montar em cavalos e dar nó em suas crinas.

O Saci Pererê pode também aparecer e desaparecer misteriosamente, é muito irrequieto e não para um instante sequer, pois fica pulando de um lugar para outro e toda vez que apronta as suas travessuras, ele dá risadas alegres e agudas e gosta de assobiar principalmente quando não existem as noites de luar.

Ao Saci Pererê são atribuídas às coisas que dá errado, ele entra nas casas e apaga o fogo, faz queimar as comidas das panelas, seca a água das vasilhas, dá muito trabalho às pessoas escondendo os objetos que dificilmente serão encontrados novamente, seu principal divertimento é atrapalhar as pessoas para se perderem. Dizem que ele veio do meio de um redemoinho e para espantá-lo as pessoas atiram uma faca no redemoinho que ele vai embora ou então o chamando pelo seu nome. Embora pertença ao folclore da região sudeste e sul, ele também foi introduzido ao folclore do norte por ser uma figura muito popular nesta região do país.

Lenda da Mula Sem Cabeça

Mais uma lenda típica do Folclore brasileiro, portanto a mula sem cabeça não tem região específica a ser contada. Ninguém sabe ao certo sua origem.

Algumas pessoas acreditam que esta história teria sido criada pela igreja católica para assustar as mulheres.

Elas deveriam entrar na igreja e ver o padre não como um homem, mas como uma figura divina, a mulher que tivesse algum tipo de desejo com o padre seria transformada em mula sem cabeça.


você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.