<

PABLO NERUDA


Pablo Neruda foi e com certeza continua sendo um grande poeta latino americano, o mesmo respirava poesia, sentia a poesia de uma forma em que ninguém mais poderia um dia sentir, foi considerado uns dos principais escritores poéticos do sec. XX. Suas obras cheias de lirismo e emoção, marcada por um acentuado humanismo, chegou a publicar uns dos seus poemas mais famosos, “20 poemas de amor e uma canção desesperada”. Neruda viveu e morreu comunista e além de tudo um grande poeta.

TRAJETÓRIA DE VIDA DO ESCRITOR

Exatamente no dia 12 de Julho de 1904 nascia Ricardo Eliécer Neftali Reyes, mais conhecido como Pablo Neruda, nasceu no Chile, na cidade de Parral. Pablo era filho de um ferroviário e tinha uma mãe que exercia uma bela profissão, professora, infelizmente o escritor não pode ter uma convivência muito longa com a sua mãe, a mesma morreu logo que Neruda veio ao mundo.

Com apenas 2 anos de idade, no ano de 1906, o escritor se muda com a família para a cidade de Temuco.  Pablo sempre teve aflorado dentro de si a grande admiração pela escrita e o dom de escrever, com 7 anos de idade já freqüentava a fase escolar, nesse período Pablo já escrevia e publicava seus primeiros poemas para o Jornal “ La Mananã”. Em 1919, na Adolescência, com apenas 15 anos de idade, o escritor participou dos Jogos Florais de Maulle, e conquistou o 3ª lugar com seu poema “Noturno Ideal”.

E você sabe como surgiu o sobrenome Neruda? Logo após as publicações de seus poemas, Pablo observou que tinha que dar um toque especial em seu nome para assim dedicar suas assinaturas em suas obras, o mesmo pegou a inspiração de um escritor tcheco chamado Jan Neruda. Em 1920, com apenas 16 anos de idade, Pablo já começava a contribuir com suas obras para a revista literária chamada “Selva Austral”, já nessa fase da sua vida, o mesmo já começou assinando pelo seu nome artístico: Pablo Neruda.

O ano de 1921 também foi de grandes surpresas e conquistas, já em uma fase quase adulta, em seus 17 anos de idade, ingressou em um curso de Frances em Santiago, na universidade do Chile. Pablo começa a ganhar seus primeiros prêmios, e foi na Festa da Primavera do ainda ano de 1921 ganhou seu segundo premio literário com o poema chamado “A Canção da Festa”. Diante de tantas criações significativas ao longo da vida, em 1923, com 19 anos de idade, o escritor começa a apostar em suas primeiras publicações, cria um livro chamado “crepusculário”, nesse livro reúne todos os seus poemas criados durante sua adolescência, livro esse que remete o lado efetivo, memorial e até mesmo melancólico de lembranças e sonhos.

Kit de Alfabetização Só Escola

Em 1924 publica mais uma obra belíssima chamada de “Vinte Poemas de amor e uma canção desesperada”, obra essa que o levou ao reconhecimento mundial e abarcava fortes tendências do gênero modernista.

Durante certo período seguiu carreira diplomática por durante cinco anos representando seu país, foi no ano de 1933, no auge dos seus 29 anos de idade, o escritor publica suas principais obras: ”Residência em La Tierra”, obra essa baseado no surrealismo, mostrando o mundo em sua verdadeira face.  Neruda viajou por diversos pais, passou certo tempo em Buenos Aires, lugar esse que conheceu renomados nomes do mundo literário, como Federico Garcia Lorca. Com a chegada da guerra civil espanhola, o escritor viu a oportunidade de escrever uma obra sobre o ocorrido, surgindo o chamado “Espana em El Corazón”, de 1937, com essa obra e com tudo aquilo que presenciou durante os acontecimentos da guerra, o escritor mudou de posicionamento político e começou a defender e seguir os pensamentos marxistas, com esse cenário começou a se dedicar totalmente na defesa do social e político no comunismo, levando os acontecimentos e pensamentos em suas obras.

Depois de certo tempo longe do Chile, o mesmo retorna em 1938, tornando-se senador pelo Partido Comunista em 1945, já com 45 anos de idade, fase bem madura do escritor.  Em 1948, Pablo começa a vivenciar momentos bastante difíceis, o governo enxerga ilegalidade do seu partido, que levantava pensamentos críticos e realistas, o escritor criticava a maneira que eram tratados os trabalhadores das minas na atual presidência de Gonzáles Videla, por esse fato começa a ser perseguido pelo governo e é exilado para a Europa, nesse período escreveu a obra, “ Canto General”, 1950.

Só em apenas em 1952, com 48 anos de idade, retorna para o Chile que já estava livre das amarras políticas, nessa mesma época publica obras de grande importância:

  • Odas Elementales, 1954
  • Cien Sonetos de Amor, 1959
  • Memorial de Isla Negra, 1964
  • A Espada Incendiada, 1970

Depois de tantas criações fantásticas, em 1971 com 67 anos de idade, já em sua velhice, é nomeado embaixador do Chile em Paris, em 1972, com a saúde bem fragilizada e estável, volta para sua cidade de origem, Santiago.

MORTE DE PABLO NERUDA

No dia 23 de setembro de 1973, com 69 anos de idade, Pablo Neruda vem a falecer em Santiago, 12 dias após o golpe militar no Chile. O corpo do escritor foi velado em casa de familiares e infelizmente nem mesmo depois da sua morte tiveram respeito, policiais da ditadura invadiram o local em um momento de profunda tristeza e respeito.

Pablo deixou a vida com diversos prêmios conquistados, como Premio Lenin da Paz (1953), Doutor Honoris Causa da Universidade de Oxford (1965) e Premio Nobel de Literatura (1971).

PRINCIPAIS OBRAS:

  • Crepusculario (1923)
  • Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada (1924)
  • Tentativa Del Hombre Infinito (1925)
  • Residência na Terra (1933)
  • Espanha No Coração (1937)
  • Canto General (1950)
  • Odas Elementales (1954)
  • As Uvas e o Vento (1954)
  • Cem Sonetos de Amor (1959)
  • Poemas (1961)
  • Memorial de La Isla Negra (1964)
  • A Espada Incendiada (1970)
  • O Mar e os Sinos (1973)
  • Confesso Que Vivi (1974)

CURIOSIDADE

Pablo Neruda visitou o Brasil por diversas vezes, em uma dessas visitas sua presença foi o mais marcante de todas, em pleno estádio do Pacaembu, no premio Nobel de literatura, em SP, o escritor apresentou um poema em homenagem ao comunista Luis Carlos Prestes que foi solto naquele mesmo dia, após 10 anos preso pela ditadura de Vargas.

Outros artigos:

POLEMICAS

Em seus livros de memórias considerado autobiográfico “Confesso que Vivi”, relata que conheceu uma mulher de origem humilde, a mesma tinha função de recolher e  descartar  uma lata com suas fezes, a mesma era uma espécie de “ Servente”,  ele cita no livro: “Certa manhã, muito determinado, segurei-a firmemente pelo pulso e olhei-a no rosto. Não havia linguagem com a qual eu pudesse falar. Ela se deixou ser guiada por mim sem um sorriso e logo ficou nua na minha cama”,

Não parando por ai, o mesmo cita: “ Foi o encontro de um homem com uma estátua. Ela permaneceu todo o tempo com os olhos bem abertos, impassível. Ela fazia bem em me desprezar. A experiência não se repetiu”, concluindo assim.

Muitos criticam e com razão a atitude do escritor que passou por um longo tempo despercebido no trecho do seu livro que relata tal acontecimento, muitos o defendem pelo fato de ser um “Jovem” de apenas 24 anos de idade, sozinho em um país desconhecido, como se isso fosse uma bela justificativa para tal ato.

Com esse fato, foi adiado o projeto de Batizar o aeroporto com o nome do Poeta, tendo por trás também a recusa e negatividade da sua postura em frente meio político comunista.

Aqui está dois dos principais poemas de Pablo:

SE VOCÊ ME ESQUECER (PABLO NERUDA)
Se você me esquecer
Eu quero que você saiba uma coisa
Você sabe como é isso
Se eu olhar para a lua cristalina
No ramo vermelho do outono chegando
Se eu tocar perto do fogo
A cinza impalpável
ou o corpo enrugado do ramo
Tudo me leva a você
Como se tudo o que existe
Aromas, luzes, metais
Fossem pequenos barcos que navegam
em direção aquelas ilhas que esperam por mim
Bem agora, se pouco a pouco você deixar de me amar
Eu devo parar de te amar pouco a pouco
Se de repente você me esquecer
Não olhe para mim
Pois eu já devo ter esquecido você
Se você acha que isso é longo e louco
O vento das bandeiras
que passa através da minha vida
Você decide, Mas lembre-se, se você
Deixar me na costa do coração onde criei raízes
Nesse dia, nessa hora
Eu vou cruzar meus braços
E minhas raízes partirão para procurar outra terra.
Mas se, cada dia, cada hora
Você sentir que está destinada pra mim
Com sua doçura implacável
Se cada dia uma flor, escalar até seus lábios a minha procura
Lembre-se
Em mim todo esse fogo também existe
Em mim nada é extinguido ou esquecido
Meu amor se alimenta do seu amor
E enquanto você viver, eu estarei em seus braços.

TE AMO ( Pablo Neruda)

Te amo de uma maneira inexplicável,
de uma forma inconfessável,
de um modo contraditório.
Te amo, com meus estados de ânimo que são muitos
e mudar de humor continuadamente
pelo que você já sabe
o tempo,
a vida,
a morte.
Te amo, com o mundo que não entendo
com as pessoas que não compreendem
com a ambivalência de minha alma
com a incoerência dos meus atos
com a fatalidade do destino
com a conspiração do desejo
com a ambigüidade dos fatos
ainda quando digo que não te amo, te amo
até quando te engano, não te engano
no fundo levo a cabo um plano
para amar-te melhor
Te amo , sem refletir, inconscientemente
irresponsavelmente, espontaneamente
involuntariamente, por instinto
por impulso, irracionalmente
de fato não tenho argumentos lógicos
nem sequer improvisados
para fundamentar este amor que sinto por ti
que surgiu misteriosamente do nada
que não resolveu magicamente nada
e que milagrosamente, pouco a pouco, com pouco e nada,
melhorou o pior de mim.
Te amo
Te amo com um corpo que não pensa
com um coração que não raciocina
com uma cabeça que não coordena.
Te amo incompreensivelmente
sem perguntar-me porque te amo
sem importar-me porque te amo
sem questionar-me porque te amo
Te amo
simplesmente porque te amo
eu mesmo não sei porque te amo…