<

Dicotomia e tricotomia – o que significa essas palavras?


Dicotomia é o termo que define a divisão de um todo em duas partes. Geralmente essa definição se dá a opostos como preto e branco, noite e dia, bem e mal, etc. Essa palavra vem do termo grego dikhotomía e significa literalmente a divisão entre dois elementos.

Existem algumas definições paralelas para a palavra dicotomia. Acompanhe no artigo abaixo:

Dicotomia na teologia

Na teologia, dicotomia é utilizada para indicar a separação da alma e do corpo. Segundo a explicação dada por teólogos, os dicotomistas acreditam que o corpo humano é dividido em duas categorias: corpo e alma.

Para os filósofos gregos, o corpo era serviçal da alma em submissão aos interesses divinos.

Dicotomia no direito

A dicotomia no direito refere-se à divisão do direito público e privado. Para entender essa divisão, é só pensar que o Direito público é concernente a qualquer negocio ou especificação pública, do cidadão em geral.

Kit de Alfabetização Só Escola

Já o Direito privado diz respeito a qualquer ramificação particular, seja interesse ou coisa que pertence a alguém ou uma associação em específico.

Dividir ambos os direitos, no qual a esfera privada caminharia até os limites em que o direito público começaria e vice-versa, chama-se dicotomia.

Dicotomia na linguística

A linguística é uma matéria relativamente nova no curso de Letras e a primeira vez que a dicotomia apareceu nessa área foi através de um livro escrito por alunos de Ferdinand de Saussure, em 1816.

A linguística saussuriana é alicerçada através de quatro dicotomias:

  • Sincronia e diacronia,
  • Língua e fala,
  • Sintagma e paradigma e
  • Significante e significado

Essa divisão, ou dicotomia forma o signo linguístico.

Dicotomia na botânica

A botânica caracteriza uma dicotomia quando existe a divisão de uma célula em duas, dando cada uma, origem a outras células. Já a tricotomia indica um órgão de uma planta que é subdividido em três. Um exemplo na prática é quando a ponta do caule ou raiz se divide repetidamente em duas porções idênticas.

Dicotomia na astronomia

Quando um planeta, astro, satélite e afins são separados ao meio (com uma metade clara e outra escura), o nome que se dá para esse elemento é dicotomia.

Dicotomia na psicologia e filosofia

Para os psicólogos, a dicotomia se referia a pensamentos diferentes, o que geralmente dizia respeito a extremos, como felicidade/tristeza, euforia/desanimo e assim por diante, onde existe apenas uma hipótese real.

Segundo Platão, o conceito de dicotomia na Filosofia é a ideia de um preceito divido em dois, geralmente de origem contrária.

Falsa dicotomia

Existe também a falsa dicotomia, quando uma situação tem dois pontos de vista alternativos e são colocados como se fossem as únicas opções , quando na realidade podem existir alternativas que não foram levadas em conta, ou podem as duas ser escolhidas em conjunto.

Dicotomia na Lógica

As aplicações para a palavra dicotomia são diversas, inclusive existe uma teoria para a Lógica também. Segundo essa área do saber, a dicotomia é a divisão de um conceito que se ramifica em duas vertentes, em geral contrária umas as outras.

Recomendamos também: O que significa etnocentrismo?

Dicotomia e tricotomia

A palavra dicotomia é muito utilizada na teologia enquanto tricotomia é utilizada em ciências medicas. Ambas sugerem a divisão de duas partes. 

Platão (427-347 a. C.) era um dos entusiastas do uso da palavra, onde ele priorizava o espírito em lugar do material. Aristóteles também utilizava o conceito para definir a importância da mente na formação do indivíduo: “Nada caracteriza melhor o homem do que o fato de pensar”.

Segue a definição correta dos termos conforme as explicações provenientes de dicionários e outras ferramentas seguras de pesquisa:

Tricotomia: o termo pode significar uma “divisão em três partes” (gr. tricha, “em três partes”; temnein, “cortar”), é aplicado na teologia à divisão da natureza humana em corpo, alma e espírito (tríplice). Esse conceito foi instaurado por Platão e desenvolvido da divisão dupla.

Os escritores cristãos primitivos, influenciados por essa filosofia grega, acharam a confirmação da sua opinião em 1Ts 5.23: “os mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo, sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Em uma versão de tricotomia, Deus habita o espírito (a pessoa interior) e o liberta da escravidão à alma (pessoa exterior) e ao corpo (a pessoa mais exterior) e faz a alma e o corpo subservientes ao espírito.

Dicotomia: este termo pode significar uma divisão em duas partes (grego dicha, “em dois”; temnein, “cortar”) e aplica-se na teologia àquele conceito de natureza humana que sustenta que o homem tem duas partes fundamentais no seu ser: o corpo e a alma/espírito, uma parte material e outra imaterial. Agostinho foi um dos maiores influenciadores do conceito.

Entre reformadores protestantes, a dicotomia tornou-se a opinião estabelecida na teologia ocidental. J. G. Machen, por exemplo, afirmou ser inquestionável que a Bíblia “reconhece a presença de dois princípios ou substancias distintos no homem – o corpo e a alma”. Para ele, e à maioria dos exegetas, alma e espírito simbolizam a mesma realidade.

Tricotomia na Medicina

Como essa palavra tem semelhança com dicotomia, utilizaremos também a explicação dela na medicina.

Tricotomia é a raspagem dos pelos na pele. Os pelos devem ser retirados porque podem gerar infecção ao abrigarem microrganismos, que poderão penetrar no ferimento. Esse procedimento é feito com a finalidade de facilitar a limpeza e a desinfecção da pele e da região a ser operada.

Quando uma cirurgia é programada, a tricotomia deve ser feita o mais próximo possível da hora da mesma (no máximo 2 horas antes, e só deve ser feita quando realmente necessária). Esse procedimento é feito pela equipe de enfermagem no período pré-operatório.

Áreas que envolvem o procedimento:

  • Cirurgias torácicas: região torácica até umbigo e axilas;
  • Cirurgia cardíaca: toda extensão corporal (face anterior e posterior), menos o couro cabeludo;
  • Cirurgia de crânio: todo o couro cabeludo ou conforme prescrição médica;
  • Cirurgia dos rins: região abdominal anterior e posterior;
  • Cirurgia abdominal: desde a região mamaria até o púbis;
  • Cirurgia de membros inferiores: todo o membro inferior e púbis.

Também não deixe de conferir: Ideologia de gênero.