<

Paradoxo


O paradoxo está presente na linguagem de algumas pessoas, mas principalmente em produções culturais. Trata-se de uma contradição intencional de termos para traduzir uma ideia através de determinada expressão. Essa é uma característica das figuras de pensamento, na qual o paradoxo está classificado.

Porém, não é o mesmo que a antítese. Esta, por sua vez, é apenas a aproximação de palavras ou termos com ideias opostas em uma mesma frase para dar mais intensidade ao que se quer expressar.

Já vimos sobre a antítese. Agora, vamos aos exemplos de paradoxo e, a partir daí, vamos diferenciar essas duas figuras de pensamento.

Exemplos de paradoxo

Compare essas duas frases do exemplo:

  • “Entre tapas e beijos, segue nosso casamento”;
  • “Seu beijo na minha boca foi um tapa no meu rosto”.

Qual delas você acha que é a antítese e qual você acredita ser o paradoxo. A primeira frase é uma antítese por causa da aproximação entre duas palavras que se contrastam. Uma significa violência e outra denota o amor. Um contraste vivido nesta relação amorosa.

Já o segundo exemplo é um paradoxo por ser dita em forma de contradição justamente para representar que aquele ato que seria de amor, na verdade, foi algo ofensivo à pessoa que recebeu o beijo. Além disso, o segundo exemplo também pode ser classificado como metáfora (clique aqui).

Conseguiu compreender a diferença? Então, vamos agora acompanhar este outro exemplo:

  • “O cão planejou roubar a comida da dona dele”.

Esta frase pode ser classificada de duas formas, todas como figuras de pensamento: paradoxo e personificação. Esta última consiste em atribuir algo racional a um ser irracional, como quando falamos com nossos animais e pedimos para que eles respondam.

Porém, como a frase parece ser totalmente contraditória, pois um cachorro não tem raciocínio lógico, é classificada também como paradoxo. Assim, um animal irracional não pensa de forma lógica e, portanto, não planeja nada. Contudo, há de se concordar com o quão “maquiavélico” o animal pode ser pelo fato de ele ter esperado a dona se distrair para que pudesse pegar a comida do prato. A contradição no enunciado foi intencional para destacar a “esperteza” do animal.

O paradoxo também pode ser semelhante a outra figura de pensamento que é a ironia. Exemplo:

  • “Este jumento é muito inteligente”;
  • “Você conseguiu tirar nota baixa na disciplina mais fácil. Você é tão inteligente”.

No primeiro exemplo, podendo ser classificado também de personificação, é uma contradição um animal ser inteligente.

No segundo exemplo, o fato de uma pessoa não conseguir tirar notas satisfatórias na disciplina mais fácil o fez ganhar o rótulo de “inteligente”. O segundo exemplo tanto pode ser um paradoxo quanto uma ironia (clique aqui).

Os exemplos a seguir não se assemelham à antítese, ironia nem à personificação:

  • “Só agora que estou cego é que posso ver quem você é”;
  • “Quer voar tão alto sem colocar os pés do chão primeiro”;
  • “Você é tão pobre que a única coisa que você tem é dinheiro”;
  • “Ele é um verdadeiro mentiroso”.

Paradoxo: conheça essa figura de linguagem

Conseguiu compreender? Você pode se aprofundar mais vendo outras figuras de linguagem. É só continuar em nosso blog.


você pode gostar também
1 comentário
  1. Vanusa da Fonseca Diz

    Boam dia! Todos os dias leio um pouco neste site, sou encantada, pois sei as ideias fluem…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.