Disciplinas, Figuras de Linguagem, Português

Pleonasmo


O pleonasmo é aquela figura de linguagem que faz você olhar com um pouco de desprezo para o seu colega que a proferiu. Quando utilizam termos repetitivos e você logo pensa: “Nossa, que cara burro! Não sabe nem falar direito”. O pleonasmo é uma figura de construção na qual o interlocutor utiliza várias palavras para expressar uma única ideia que poderia ser dita com apenas uma palavra. Acaba tratando-se de uma redundância ou repetição desnecessária.

São termos que utilizam mais palavras do que o suficiente. E, ao ouvir, você pensa: “Isso é lógico. Quando isso acontece, logo isso aqui fica desta forma. Não precisa dizer”.

Muita gente considera a utilização do pleonasmo como “falar, falar e não dizer quase nada”. Ou “falar um quilo, mas dizer uma grama”.

Essa repetição de palavras com o mesmo sentido altera a estrutura da frase, dando mais expressividade ao que se quer comunicar. Característica das figuras de construção.

Pode ocorrer por pura licença poética, como em casos de produções culturais. Ou pode ocorrer por brincadeira, ou por pouco conhecimento da norma culta da língua portuguesa.

Pleonasmo: conheça esta figura de linguagem

Recomendamos também: Conserto ou concerto.

Vamos aos exemplos?

Exemplos de pleonasmo

Os principais pleonasmos que você deve conhecer são:

  • “Fulano, você vai subir para cima daquela árvore?”;
  • “Eu quero é descer para baixo”;
  • “Deixa-me sair para fora de casa um pouco”;
  • “Abre a porta. Quero entrar para dentro”.
  • “Uma dupla de dois assaltantes roubou a loja”;
  • “Um trio de três cantores está fazendo muito sucesso”;
  • “Essa noite está muito escura para sair fora de casa”;
  • “Menino, sai do sol quente que tu vais ficar todo queimado”;
  • “A chuva caiu na cidade e molhou as plantas”;

Repare que, em alguns exemplos, há mais de duas palavras com o mesmo significado. E até mesmo dois pleonasmos sendo cometidos em uma mesma frase. Essa repetição é totalmente desnecessária em nosso cotidiano.

Quando alguém diz que vai “subir para cima”, você logo pensa em responder que “se vai subir, lógico que é para cima”. Assim ocorre também com o “trio de três”, “dupla de dois”, etc.

Há questões que são muito óbvias, como os mais de dois termos sendo utilizados no penúltimo exemplo. O sol sempre foi e sempre será quente e, logicamente, a pessoa que ficar exposta será queimada, embora seja de forma branda. A maneira mais apropriada de dizer a frase “menino, sai do sol quente que tu vais ficar todo queimado”, seria cortando palavras com mesmo sentido. Exemplo: “Menino, sai da rua, que o sol está muito forte”. A palavra forte expressa melhor a característica do sol, pois, como dissemos, ele nunca deixará de ser quente. Porém, há momentos do dia em que ele estará com maior ou menor intensidade. Ou seja, fraco e forte.

No último exemplo, também há mais de duas palavras em redundância. Assim como o exemplo do sol, a chuva sempre cai e sempre molha o que tocar. Veja uma forma mais adequada de dizer tal frase: “A chuva de hoje fez bem para as plantas”.

Compreendeu o que é um pleonasmo? Para saber mais sobre figuras de linguagem, continue em nosso blog.


One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *