Educação Infantil, Volta às Aulas

Rotina volta às aulas para Educação Infantil


Selecionamos nesta postagem algumas sugestões para o primeiro dia de aula, a Rotina volta às aulas para Educação Infantil.

Rotina volta às aulas para Educação Infantil – Primeira Semana de Aula

Confira a Rotina volta às aulas para Educação Infantil indicada para a primeira Semana de Aula, elaborada pela maravilhosa professora Valéria do blog Ensinando com Carinho:

Rotina volta às aulas para Educação Infantil

Rotina volta às aulas para Educação Infantil

  1. Acolhida dos alunos;
  2. Música ambiente tocando enquanto os pais vão chegando e deixando as crianças, para inclusive acalmar alguns que possam estar ansiosos ou preocupados com as novidades;
  3. Sentados em círculo, pode ser nas cadeiras ou num tapete no chão, com diversas almofadas ( o mais aconchegante possível), próximo a livros, brinquedos etc, iniciar o diálogo de boas vindas e apresentações, onde cada um poderá dizer seu nome, falar de gostos pessoais e mesmo de sua família. É importante permitir a liberdade, neste momento, porém direcionando para que todos tenham a oportunidade de falar;
  4. Música de boas vindas! Existem diversas músicas que podem ser cantadas pela turma neste momento, fica a critério do professor escolher a que melhor lhe convier. “Bom dia amiguinho, como vai? A sua companhia me atrai, faremos o possível para sermos bons amigos, bom dia amiguinho, como vai?” Esta música “As mãos” Patati Patatá é muito bonita.
  5. Entrega do crachá com a explicação de que aquele é o seu nome. Este pode ou não ser ainda o momento de falar da história do nome de cada um. Se a turma já é familiarizada com o nome, pode-se pular esta etapa, se o professor preferir, pode iniciar desde já dando abertura para que cada um conte como foi escolhido o seu nome, se gosta dele etc.
  6. Roda de história ou Contação de história – Aqui o livro ficará a critério de cada professor, dentro do tema que desejar abordar, no primeiro dia de aula, seja convivência, amor ao próximo, família etc.
  7. Sugestões de leitura: O sapo bocarrão, de  Keith Faulkner, O porco narigudo, também de Keith Faulkner, Por favor, obrigado, desculpe, de Becky Bloom e Pascal Biet.
  8. Conversa sobre o tema abordado. O que cada um gostou, o que não gostou dentro da história, personagem preferido etc.
  9. Atividade: modelagem ou desenho livre para recontar a história, a seu gosto. Em seguida, é importante expor cada trabalho.
  10. Higiene e Lanche –  Sugestões: Comer comer com Patati, Patatá – ou ainda Hora da refeição Patati Patatá

Cai a água na biquinha
Faz espuma com sabão
Pra comer a merendinha
Já lavei a minha mão
Letra: Carminha Soares
Música: ciranda cirandinha

  1. Repouso com música
  2. Parquinho ou atividades ao ar livre como Recreação
  3. Organização do ambiente, dos materiais utilizados.
  4. Se você tiver programado alguma lembrancinha, este é o momento ideal de entregá-la.
  5. Música de despedida…
  6. Saída.

É claro que cada professor deverá adaptar este plano de atividades a sua realidade e a realidade de seus alunos, aos horários de sua escola, excluindo ou incluindo nele o que for necessário. É importante lembrar também que nem sempre a rotina segue conforme foi planejado, imprevistos acontecem: algumas crianças podem precisar de maior atenção, podem chorar no primeiro dia e encontrar dificuldades para deixar os pais na entrada, dentre outras coisas que podem vir a acontecer, como a entrega de materiais, que sempre pode “bagunçar” um pouco essa rotina e pode ser agendada para uma reunião com os responsáveis. O professor, nesta primeira semana, não deve estar sozinhoe sim precisa contar com o auxílio de coordenadores, ajudantes, etc.



Nos dias subsequentes devem ser orientadas visitas aos diferentes departamentos da Escola, principalmente para os alunos novos, para que conheçam o novo ambiente no qual estão inseridos e não tenham maiores dificuldades de adaptação.

Também podem ser inseridos nos demais dias da primeira semana: jogos, pintura a dedo, brinquedos, ginástica musicada (fazer gestos com eles enquanto a música toca), desenho musicado (desenhar com música), Pintura livre com tinta, rasgar revistas ou jornais, modelagem, colagens, amassar papel, brincar de trenzinho ao som de música, andar sobre barbante, engatinhar sobre colchonetes, rolar, carimbar mãozinhas com tinta etc. Seu mestre mandou Patati Patatá é uma boa sugestão para brincar!

Veja ainda:


Rotina volta às aulas para Educação Infantil – Acolhida para sala de aula

Rotina volta às aulas para Educação Infantil
Rotina volta às aulas para Educação Infantil

Rotina volta às aulas para Educação Infantil – Atividade de Conhecimento

Rotina volta às aulas para Educação Infantil - Atividades para imprimir

Rotina volta às aulas para Educação Infantil – Sugestões de Dinâmicas

ÁRVORE DOS SONHOS 

Representar uma árvore no papel pardo ou cartolina; afixá-la no painel ou parede. Em cima da árvore, escrever uma pergunta relacionada com o assunto (pode ser sobre questões ambientais, regras de convivência, o ambiente escolar etc) que será tratado durante o bimestre, trimestre… Ex.: Como gostaríamos que fosse…?

Cada criança receberá uma “folha da árvore” para escrever seu sonho, o sonho é o que a criança espera que “aconteça de melhor” para o assunto em questão. Depois, pedir para cada criança colocar sua folha na árvore dos sonhos.

Obs: Esta atividade poderá ser retomada durante o período que for trabalhado o assunto, ou ao final do período para que haja uma reflexão sobre o que eles queriam e o que conseguiram alcançar.

DA CONFUSÃO À ORDEM

Estas atividades são ideais para que a criança perceba a necessidade da organização para o bom desempenho das atividades. O professor pode, a partir da fala das crianças, levantar algumas regras para a organização em sala de aula.

Pedir para que as crianças, todas ao mesmo tempo, cantarem uma música para o seu companheiro do lado (esta atividade gerará um caos); depois pedir a um aluno que cante a música dela para a classe. As crianças perceberão como o caos é desagradável e como a ordem tem um sentido.

O professor poderá levantar com as crianças outras situações vividas onde a organização é essencial.

O LAGO DE LEITE

(Despertar no aluno o prazer do trabalho em conjunto e a importância da ação individual na contribuição com o todo.O professor poderá falar um pouco sobre o trabalho na série, para que as crianças entendam a importância do envolvimento de todos para a realização do mesmo).

Em um certo lugar no Oriente, um rei resolveu criar um lago diferente para as pessoas do seu povoado. Ele quis criar um lago de leite, então pediu para que cada um dos residentes do local levassem apenas 1 copo de leite; com a cooperação de todos, o lago seria preenchido. O rei muito entusiasmado esperou até a manhã seguinte para ver o seu lago de leite. Mas, tal foi sua surpresa no outro dia, quando viu o lago cheio de água e não de leite. Em seguida, o rei consultou o seu conselheiro que o informou que as pessoas do povoado tiveram o mesmo pensamento: “No meio de tantos copos de leite se só o meu for de água ninguém vai notar…”

Questionar com as crianças: Que valor faltou para que a ideia do rei se completasse? Após a discussão é interessante que os alunos construam algo juntos, como por exemplo: o painel da sala. A sala pode ser decorada com um recorte que, depois de picotado, forma várias pessoas de mãos dadas, como uma corrente.

Confira outras sugestões em:


Como deve ser uma boa rotina ? Rotina volta às aulas para educação infantil

A organização do tempo constitui um dos maiores desafios para proporcionar à criança cuidados e educação de qualidade. Cada momento da vida na pré-escola deve ser um momento pleno de estímulos, desafios e oportunidades para aprender. Para que isso ocorra, é fundamental planejar bem as atividades de cada dia, no contexto de um plano semanal ou mensal de trabalho.

A seguir confira 9 etapas essenciais da rotina volta às aulas para educação infantil:

Chegada e acolhida

Esta é a parte mais importante do dia da criança na pré-escola. Superada a dificuldade na separação dos pais, a criança aprende que é bem-vinda. Quem a recebe, como é recebida pelos adultos, professores e colegas determina o tom do dia e de sua percepção da vida na pré-escola. A chegada também é o momento de formação de importantes hábitos: localizar e guardar objetos, colocar e tirar roupas, amarrar e desamarrar sapatos. A criança deve adquirir autonomia nessas questões logo nas primeiras semanas. A presença de um adulto é fundamental para orientar a formação de hábitos e sequências, bem como para estimular a criança a, progressivamente, tornar-se autônoma.

Iniciação e rodinha

Há duas formas mais comuns de iniciar o dia: em algumas escolas, a criança se dirige à sala e tem liberdade para fazer o que quer ou pode ficar brincando no pátio, até a organização de alguma atividade; em outras, as crianças já se dirigem diretamente para uma atividade organizada pela professora. Essa atividade pode ser a rodinha habitual, ou algo que a professora preparou para engajar as crianças diretamente nela. O mais usual é a rodinha, e há várias formas e agendas para ela, dentre as quais destacamos:

  1. Ouvir as crianças, deixá-las contar a respeito de eventos que ocorreram em casa ou no caminho da escola. A escuta é fundamental para o professor identificar crianças que necessitam de atenção especial, e é também um momento profícuo para estimular as crianças que falam pouco e compartilham pouco de suas vidas.
  2. Fazer a chamada, identificar os presentes e ausentes. Conferir o calendário; aprender sobre dias do ano, mês, semana; falar sobre o tempo; acertar as rotinas do dia; anunciar eventos ou surpresas.
  3. Introduzir conceitos. Em rodinha, as crianças podem participar de brincadeiras para conhecer o nome dos colegas, falar nome de objetos, identificar palavras ou fonemas, continuar uma história, etc.

Lanche

A hora do lanche é um momento privilegiado para a formação de hábitos de higiene e saúde, organização, comportamentos sociais e habilidades psicomotoras. Mas é, sobretudo, um tempo privilegiado para uma interação adulto-criança muito semelhante à vida em casa. A possibilidade do professor sentar-se junto às crianças e conversar de maneira livre e descontraída deve ser vista como um momento ímpar.

Recreio

Numa escola dinâmica em que a criança tem vários graus de liberdade para ir e vir e escolher tarefas e amigos, o recreio não é muito diferente de outros momentos da pré-escola. A existência de espaços e equipamentos adequados e a presença de outros adultos também pode ajudar muito no desenvolvimento de comportamentos sociais. Assegurar a segurança das crianças deve ser uma preocupação básica, e como tudo em segurança, a prevenção é sempre o melhor remédio.

Repouso

As crianças variam muito em suas necessidades de repouso e na duração dele. As necessidades tendem a se reduzir com o tempo, mas, como qualquer hábito, o repouso deve ser previsto e cultivado. A escola poderá decidir se as crianças que não têm o hábito de dormir devem permanecer quietas descansando ou se podem participar de outras atividades. Ademais, há momentos em que a criança precisa de um tempo e um espaço isolado para se recompor.

Banheiro/higiene

Há várias questões importantes a respeito desses temas.

  1. Com relação à higiene. Comprovadamente as mãos são as maiores transmissoras de doenças entre pessoas, e isso é particularmente acentuado no caso das crianças. Portanto, o acesso a locais para lavar as mãos com frequência é fundamental para evitar doenças.
  2. Com relação ao uso do banheiro. As crianças têm necessidade frequente de ir ao banheiro, mas nem sempre têm a capacidade de prever ou se lembrar. Daí que as necessidades muitas vezes surgem de forma inesperada e com caráter urgente. Ademais, muitas crianças precisam adquirir os hábitos básicos para uso das instalações sanitárias, que nem sempre são ensinados ou praticados em suas casas.
  3. Tudo isso sugere que pias e banheiros devem ser de tamanho adequado, estar na altura adequada e estar localizados, de preferência, em espaços contíguos ou adjacentes à sala de aula. De outra forma, essa atividade pode consumir 20% ou mais do tempo diário do professor.

 Despedida

A despedida deve ser precedida de uma revisão do dia. Isso ajuda as crianças a desenvolver o sentido de planejamento, previsibilidade e estabilidade. Também ajuda no desenvolvimento da memória e da organização de estruturas narrativas. Antes do encerramento do dia há cuidados a serem levados em conta:

  1. Arrumação da sala e dos materiais: as crianças devem fazer isso após cada atividade, mas especialmente ao final do dia é importante deixar a sala limpa e arrumada. Isso reforça o senso de planejamento, de ordem e de responsabilidade.
  2. Arrumação das roupas: esta é outra oportunidade para a criança desenvolver hábitos independentes de se vestir e treinar habilidades motoras. Também ajuda a memória e o senso de responsabilidade sobre os objetos que ela leva e traz para a escola.
  3. Itens para levar para casa: frequentemente a criança leva para casa mensagens, bilhetes, trabalhos que faz, livros ou objetos emprestados, ajuda também ajuda o processo de memória.
  4. Dever de casa: se houver dever de casa, o ideal é que isso seja feito de forma sistemática, por exemplo, todos os dias, ou em um dia determinado. Dever passado, deve ser cobrado e cumprido – isso é essencial para a criança desenvolver o senso de responsabilidade.
  5. Saudações calorosas: são essenciais para constituir e reforçar laços de afetividade das crianças entre si e com os adultos e professores. Além disso, é o momento de interações e troca de informações entre professores e pais.

Brincadeira livre

Dependendo dos recursos disponíveis, as crianças podem ter tempo para fazer o que quiserem em diferentes espaços da sala. Caso isso seja possível, a professora deve assegurar que as crianças circulem nos vários espaços em dias diferentes, para evitar que sempre façam a mesma coisa. Normalmente, isso se faz formando duplas ou trincas e estimulando as crianças a brincarem juntas. São momentos importantes para as crianças desenvolverem sua individualidade, aprenderem a brincar em grupos de dois, três ou mais; e são momentos preciosos para o professor observar as crianças e engajar-se em conversas reais em torno da atividade que as crianças estão fazendo. Conversa real significa diálogos longos, em que o professor estimula a criança a elaborar seus pensamentos, sentimentos, explicar a ação, etc. É o contrário de fazer questionários com perguntas e respostas ou dar ordens.

Atividades organizadas

A cada dia o professor organizará duas, três ou quatro atividades, utilizando os materiais disponíveis. As atividades devem ser planejadas de forma espaçada, mas podem ser sequenciais: por exemplo, o professor pode fazer a leitura de uma história infantil e depois fazer uma atividade ou um desenho sobre o texto lido. A preparação para cada atividade deve ser cuidadosa, pois isso facilita a transição e ajuda as crianças a se concentrarem no que irão começar a fazer.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *