Datas Comemorativas, Educação Infantil, Uncategorized

Textos sobre o Circo


Confira alguns textos sobre o Circo, para trabalhar o Dia do Circo, data que é comemorada anualmente no dia 27 de Março. São textos sobre o Dia do Circo, letras de músicas, poemas e poesias infantis.

Dia 15 de março é Dia Internacional do Circo, já no dia 27 é comemorado o dia do Circo no Brasil, em homenagem a um palhaço Brasileiro.

Atualmente comemora-se o Dia do Circo em 27 de março, numa homenagem ao palhaço brasileiro Piolin, que nasceu nessa data, no ano de 1897, na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo. Considerado por todos que o assistiram como um grande palhaço, se destacava pela enorme criatividade cômica e pela habilidade como ginasta e equilibrista. Seus contemporâneos diziam que ele era o pai de todos os que, de cara pintada e colarinho alto, sabiam fazer o povo rir. (Saiba Mais: Dia do Circo).

Veja algumas sugestões de textos sobre o Dia do Circo, letras de músicas, poemas e poesias infantis:

Letra da música –  O Circo, de Sidney Miller

Vai, vai, vai começar a brincadeira
Tem charanga tocando a noite inteira
Vem, vem, vem ver o circo de verdade
Tem, tem, tem picadeiro e qualidade
Corre, corre, minha gente que é preciso ser esperto
Quem quiser que vá na frente, vê melhor quem vê de perto
Mas no meio da folia, noite alta, céu aberto
Sopra o vento que protesta, cai no teto, rompe a lona



Pra que a lua de carona também possa ver a festa

Bem me lembro o trapezista que mortal era seu salto
Balançando lá no alto parecia de brinquedo
Mas fazia tanto medo que o Zezinho do Trombone
De renome consagrado esquecia o próprio nome
E abraçava o microfone pra tocar o seu dobrado

Faço versos pro palhaço que na vida já foi tudo
Foi soldado, carpinteiro, seresteiro e vagabundo
Sem juiz e sem juízo fez feliz a todo mundo
Mas no fundo não sabia que em seu rosto coloria
Todo encanto do sorriso que seu povo não sorria

De chicote e cara feia domador fica mais forte
Meia volta, volta e meia, meia vida, meia morte
Terminando seu batente de repente a fera some
Domador que era valente noutras feras se consome
Seu amor indiferente, sua vida e sua fome

Fala o fole da sanfona, fala a flauta pequenina
Que o melhor vai vir agora que desponta a bailarina
Que o seu corpo é de senhora, que seu rosto é de menina
Quem chorava já não chora, quem cantava desafina
Porque a dança só termina quando a noite for embora
Vai, vai, vai terminar a brincadeira
Que a charanga tocou a noite inteira
Morre o circo, renasce na lembrança
Foi-se embora e eu ainda era criança

Textos sobre o Circo

Textos sobre o Circo – Quem inventou o circo

Textos sobre o Circo - Quem inventou o circo
Textos sobre o Circo – Quem inventou o circo

Textos sobre o Circo – Poema – Palhaço, de Niltom Heliton

Textos sobre o Circo - Poema – Palhaço, de Niltom Heliton


Textos sobre o Circo – A vida no circo

Textos sobre o Circo - A vida no circo
Textos sobre o Circo – A vida no circo

Textos sobre o Circo – O mundo encantado de um palhaço

Textos sobre o Circo - O mundo encantado de um palhaço

Outras dicas em: A HISTÓRIA DO CIRCO


Textos sobre o Circo – Isso sim que é vida boa

Textos sobre o Circo - Isso sim que é vida boa
Textos sobre o Circo – Isso sim que é vida boa

Textos sobre o Circo – O palhaço é toda minha vida

Textos sobre o Circo - O palhaço é toda minha vida
Textos sobre o Circo – O palhaço é toda minha vida

Textos sobre o Circo – O circo da Alegria

Textos sobre o Circo - O circo da Alegria

Veja agora: O CIRCO CHEGOU – POESIA INFANTIL

Textos sobre o Circo – Isso Sim que é Vida Boa…

Eu queria ser de circo.
Ai, que vida original!
Trabalhar todas as noites,
Divertindo o pessoal.
Os aplausos da platéia,
toda aquela vibração,
sempre novas gargalhadas,
sempre mais animação!

Eu queria ser de circo,
conhecer os bastidores,
que a platéia nunca vê,
ver de perto os domadores,
dar comida ao chimpanzé,
ver a cama do anão,
ver as focas adestradas,
ver a jaula do leão,
ver a cara do palhaço,
sem pintura e fantasia,
e ver se a mulher barbada
faz a barba todo dia.

Lá no circo, eu imagino,
mal termina a função,
os artistas vão comer,
sem pagar nenhum tostão,
a pipoca que quiserem,
quanto for que os contente,
um montão de algodão-doce,
guaraná e cachorro-quente.

Pedro Bandeira


Textos sobre o Circo – Picadeiro Mágico

Meu amor desabrocha em suas mãos
Deslizando os semblantes
Na mais linda poesia
Em sua majestosa delicadeza
Sinto-me assim maravilhada
Completamente maravilhada!
Maquiada em cores perfumadas
Na sobra de suas luzes
Na noite, belíssima noite!
Envolta do seu sorriso
Contemplada com a magia
Do seu amor
Um espetáculo elevado
Ao paraíso.

Texto do livro Circo & Poesia

Textos sobre o Circo – A mulher borracha

a mulher-borracha
é que tem jogo de cintura
parece de látex
retorce pra lá, retorce pra cá
vira do avesso
se estica toda
que nem cobra, lombriga, minhoca
até encostar o umbigo nas costas
então se desenrosca
depois
coça a cabeça com o pé
as pernas põe atrás da orelha
e sai caminhando com as duas mãos
sobre os dedos
na maior
mas o namorado largou dela
diz que era muito enrolada.

Textos sobre o Circo – A Liberdade

Eu queira ser
Um trapezista com olhar
Além do horizonte
Ter todo prazer
De voar
Por entre as estrelas
Cavalgar a liberdade
Sem vaidades
Viver a vida aos montes.

Textos do livro Circo & Poesia


Textos sobre o Circo – Hoje tem Alegria

Hoje tem palhaçada?
Tem sim senhor!
Hoje tem marmelada?
Tem sim senhor!
Tem alegria
Tem energia
Tem gargalhada e muita folia!
Hoje tem pirueta?
Cambalhota e mariola?
Tem sim senhor!
Tem muita risada
Tem muita música e tambor
Palhaço engraçado fazendo o show!
Hoje tem perna –de-pau?
Tem sim senhor?
Hoje tem bailarina?
Tem sim senhor!
Basta deixar a dança e a música tomar conta de ti
Voltar à infância e no circo dos sonhos
Pular e chorar de rir.
Hoje tem festejo!
Hoje tem muita cor
Piruetas sob a lona do circo no interior
Trapezistas e malabaristas fazendo arte
Mágico trazendo vida e graça por toda parte.
Hoje tem espetáculo?
Tem sim senhor!
Começa em poucos instantes o show da alegria
No circo a vida se faz magia
Hoje tem felicidade?
Tem sim senhor!
No circo a alma do homem é sorriso e amor!

Paula Belmino

Textos sobre o Circo – O Palhaço Palha de Aço

Sou o palhaço Palha de Aço.

Todo mundo ri do que faço.

Faço malabarismo,

Conto piada,

E jogo água na criançada.

É tudo uma grande palhaçada…

Quando piso no pé do cocada,

A plateia cai na gargalhada.

Frances Rodrigues Pinto

Textos sobre o Circo – O PALHAÇO NO CIRCO – poesia Infantil

Debaixo da tenda de lona
Circo é montado afinal
Nele o artista detona
Da fantasia ao real

Divertido e engraçado
É ver no palco o palhaço
Com nariz vermelho, inchado
Fazendo um estardalhaço

Usa roupas coloridas
De meio metro os sapatos
Brincadeiras atrevidas
É querido por seu atos

Crianças gritam felizes
Caindo na gargalhada
Das piadas, sem deslizes …
No reino da trapalhada

A criançada se agita
O aplaude, grita, sorri
– Seu coração só palpita
Quando o palhaço não ri !

Armando A. C. Garcia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *