<

Glicólise

Glicólise é uma sequência metabólica composta por um conjunto de dez reações catalisadas por enzimas livres no citosol.


Parece que você já ouviu ou até mesmo viu essa palavrinha em algum lugar, e você não está enganado, ela pode ser possivelmente confundida com a glicose e ambas realmente fazem parte uma da outra, a glicólise é um processo bioquímico em que a molécula da glicose é quebrada em duas moléculas menores, esse processo tem nome, e é chamado de liberação de energia.

O que é Glicólise?

A Glicolise, como mencionada é o processo que se dá na liberação de energia através da quebra molecular da glicose (formula (C6H12O6) a glicose é obtida pela alimentação que nosso corpo ingere, assim, essa substancia precisa ser quebrada, essa quebra acontece em duas moléculas menores de acido pirúvido, esse acido contem 3 átomos de carbono, como mostra essa formula(C3H4O3) todo esse processo é denominado de respiração celular, isso tudo ocorre  no cenário da  hialoplasma, ou pode ser chamada também de citosol, esse citosol é um liquido presente no interior das células dos seres vivos, onde são encontradas moléculas e organelas celulares, formando o citoplasma de células.

Veja também: 

A respiração celular da Glicólise

A respiração celular pode ocorrer em duas situações, dependendo muito do tipo de célula e do organismo, essas células podem ou não conter oxigênio e é dividida em aeróbicos e anaeróbicos.

AEROBICOS E O PROCESSO ATP: A respiração aeróbica é um processo que contem a presença do oxigênio, é uma ação bioquímica cuja função é de prover energia, essas energias advêm das moléculas chamadas ATP (Adenosina trifosfato) ela faz parte de um processo que pode ser classificado em dez passos, ou seja, dez reações enzimáticas no processo da glicolise, formando o acido pirúvico.

Como mencionada, a molécula contida na glicose necessita de uma quebra, nessa quebra surge duas moléculas de acido pirúvico.

O acido pirúvico, como também mencionado, é formado por três átomos de carbono, tem como função o inicio de Krebs, que são inúmeras reações químicas que acontece na célula afetando diretamente o seu metabolismo, pode ser denominado também de ciclo do ácido cítrico, sendo uma importante peça no processo na respiração celular.

Segue a imagem de como o Krebs funciona em toda ação:

Glicólise - Ciclo de Krebs

Os ATP podem ser chamados também de fase de investimento de energia (composta por base nitrogenada adenina, açúcar e três fosfatos), elas são responsáveis de pegar a energia e armazená-las por um tempo especifico depois desse tempo a energia é liberada, essa energia serve para o funcionamento das atividades celulares, a adição de fosfatos na molécula da glicose ocorre à divisão em duas moléculas provenientes dessa ativação, por mais que a molécula de ATP seja extremamente vantajosa na ação, a glicólise também é, produzindo no final do desenvolvimento 4 moléculas de ATP, ou seja, o dobro, essa etapa podem também ser denominada  de fase preparatória e pagamento: E por qual motivo? Vamos conferir?

ATP na fase preparatória é usada como transportadora de energia, a sua hidrolise nada mais é que a quebra de uma molécula pela água proporcionando a liberação de íons H+ e OH-,

Já na fase chamada de pagamento é o surgimento de 4 moléculas, essas 4 moléculas funciona como  um pagamento pelas duas moléculas que foram “ gastas” no primeiro processo.

Anaeróbico: Pode ser considerado como parte do processo da glicolise, pois como o anaeróbico não possui em sua estrutura oxigênio o mesmo não é necessário para quebra das moléculas da glicose, entrando no processo surge uma nova substancia para ajudar: a fermentação (lática ou alcoólica) é uma substancia de substituição que ajuda no caminhar do oxigênio, esse processo capacita a: respiração celular, reação do ciclo de Krebs e fosforização oxidativa, que são etapas metabólicas, o acido pirúvico também age nesse processo, pois quando não há oxigênio gera a mitocôndria, assim o piruvato é transformado em ácido.

Acepto de elétrons nas reações da Glicólise

Pode ser denominado de receptor ou aceitador, é uma ação química, esse processo aceita elétrons de outros compostos.

  • Geram os ATP, as moléculas são oxidadas
  • A sua ação na respiração aeróbica: O aceptor dos elétrons na sua fase final do processo é sempre o oxigênio, importante ressaltar que o aceptor de elétrons aceita elétrons de outros componentes na reação química
  • Já no processo anaeróbico, o processo final dos elétrons não possui oxigênio, é composto por outro fator orgânico, como mencionado,
  • Durante esse processo das reações das glicolise é liberado quatro elétrons e quatro íons H+
  • Dessas  quatros moléculas h+, duas se livram e ficam situadas no citoplasma,
  • As moléculas NAD+ (nicotimanida-adenina) absorvem os dois íons H+ e quatro elétrons, essas moléculas NAD são aceptoras de elétrons que captura elétrons de reações de degradação e levá-los até reações que promove a síntese ATP.
  • Essa absorção origina as moléculas NADH

Para entender melhor um processo bem complexo, segue a imagem do processo químico da glicólise:

Glicólise - Exemplo

Portanto, todo esse processo tem como objetivo maior a liberação de energia para algumas funções do nosso corpo, essa liberação acarreta energia para o funcionamento equilibrado das células, é um processo satisfatório, se não houvesse toda essa ação, o organismo anaeróbico não seria suficiente para sustentar todo oxigênio que o corpo precisa para assegurar todas as necessidades que surgem no mesmo, para estudar um pouco mais, confira o artigo sobre a glicose, a mesma é mencionada no processo da glicólise, um fator de extrema importância para toda ação.


você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Secured By miniOrange