<

Hanseníase


A doença Hanseníase mais conhecida como lepra, é uma doença crônica, rara e infecciosa que apresenta elevados números de casos principalmente no Brasil, sendo o segundo pais com a maior incidência, com esse fato é obrigatório a investigação constante da mesma em todo território nacional, sendo considerado um fator grave da saúde publica.

Hanseníase: CARACTERÍSTICAS DA DOENÇA

A Hanseníase é uma doença crônica e mais antiga doença da humanidade, surgiu há mais de 600 anos A.C, a mesma é de espécie rara, e sua primeira aparição foi inicialmente na Ásia e alastrou pela áfrica, no Brasil o numero de casos chega a menos de 15 mil por ano. O agente causador da doença tem um nome pouco sugestivo, “mycobacteruim Lepral”, é uma actinobactéria, da família mycobacteruim, esse agente ocasiona grande problemas no corpo humano, atingindo partes bastante sensíveis como a pele e nervos periféricos.

Com o desenvolvimento da doença pode resultar em manchas na pele, essas manchas são acompanhadas por cores esbranquiçadas ou ate mesmo avermelhadas, além de afetar regiões como a pele e os nervos periféricos podem acometer regiões como os olho podendo se alastrar por outras partes do corpo, como os órgãos internos.

Hanseníase: TRANSMISSÃO E SINTOMAS

Como é uma doença de nível transmissível, podem ser transmitidas através gotículas que saem do nariz, ou seja, nas vias aéreas, e até mesmo pela saliva, a bactéria pode permanecer no organismo por ate 7 anos, isso mesmo, 7 anos, pois o organismo não consegue detectar de imediato o vírus no nosso corpo, com isso os sintomas aparecem tardiamente,  a mesma afeta ambos os sexos e todas faixa etárias.

Os sintomas podem ser diversos, como:

  • Sabemos que uns dos principais sintomas da doença são as manchas avermelhadas, essas manchas podem surgir de diversos tamanhos, não tendo limite de crescimento na pele afetada, essas manchas podem aparecer em qualquer lugar do corpo
  • Pode ocasionar estado de dormência em algumas partes do corpo, isso ocorre pelo fato da doença comprometer os nervos
  • A perca da sensibilidade em alguns casos é muito constante e até grave, pois pode levar a pessoa se ferir ou até mesmo perder algum membro do corpo, principalmente os dedos
  • As mãos podem sofrer mudanças em sua estrutura óssea, chamadas de “mãos de garras”
  • Algumas partes do corpo podem frear o crescimento de pelos e a produção de suor principalmente em áreas afetadas pelas manchas, ocasionando a perda da umidade.
  • Em alguns casos podem surgir caroços como na orelha, pescoço, mãos, cotovelos, podendo ocasionar também inchaços e febres

A DOENÇA TEM CURA? QUAIS TIPOS DE TRATAMENTO

A doença se for descoberta em período inicial, pode existir grandes possibilidades de cura, se for descoberta tardiamente ou se ocorrer até mesmo um tratamento inadequado pode ocasionar limitações físicas graves.

O tratamento envolve o acompanhamento de um medico dermatologista para avaliar as manchas na pele e também conta com uma equipe de âmbito multiprossional:

  • São Realizados testes de sensibilidade, avaliação da parte motora, e investigação de aparecimentos de nódulos pelo corpo.
  • Após o diagnóstico o tratamento é realizado através da Poliquimioterapia (QMT),
  • E medicamentos indicados para combater a doença de forma eficaz, de acordo com a idade e peso do paciente
  • Importante ressaltar que mulheres grávidas ou em período de amamentação não impedem o tratamento da doença

RISCOS PESSOAIS

Infelizmente pessoas que são afetadas pela doença sofrem grande estigma e preconceitos, pois a doença ocasiona lesões neurais, podendo ocasionar até exclusões sócias por parte de um determinado grupo de pessoas, com esse efeito, indivíduos acometido pela doença se sentem diferentes, excluídos e até podem entrar em um estado depressivo e sentir vergonha do seu próprio físico.

Com esse fator, o termo “Lepra” é extremamente proibido de ser usado como termo, a denominação correta é Hanseníase, esse termologia foi colocada e efetivada em 1976, pelo Ministério da Saúde, as pessoas afetadas pela doença recebem tratamento psicológico, que orienta na superação das barreiras e dificuldades encontradas ao longo da doença.

 Com esses fatores agravantes é bacana lembrar que a doença tem cura, quanto mais cedo for diagnosticada e o tratamento for iniciado, será possível combatê-la, dia 27 de Janeiro, é o dia Mundial Contra a Hanseníase, instituída pela lei 12.135 de 2009.

CURIOSIDADES

  • Além, de ser conhecida por Maycobacterium Lepral, pode também ser conhecida por bacilo de Hansen, Hansen foi um cientista que descobriu a doença.
  • Muitos Cientistas diante das suas pesquisas ainda não se aprofundaram o bastante para descobrir o motivo do nosso sistema imunológico não conseguir captar a bactéria causadora da doença, em alguns campos científicos, começou-se a avançar no estudo da mesma, descobrindo que a bactéria Maycobacterium age em uma espécie de “baile de mascaras”, com isso a bactéria se disfarça, e as células do corpo humano infectadas age como se o vírus fosse algo natural para o corpo, o sistema imunológico não entende o risco e acaba agindo de forma errada, ficando comprometida.

A Hanseníase é uma doença que tem cura, e é extremamente necessário o diagnostico precoce e atento. Infelizmente pode ser considerada uma doença de nível epidemiológico, pois muitas pessoas vivem em ambientes de pouca higiene e até mesmo em condições econômicas e sociais agravantes, as regiões mais afetadas são: Centro Oeste, Norte e nordeste, a população que residem nessa área na maioria dos casos não tem acesso à unidade básica de saúde, agravando ainda mais a doença. Com isso é de extrema importância viabilizar o olhar humano e criar estratégias coerentes e de caráter continuo para que essas pessoas tenham acesso e possam tratar essa doença e entre outras.

Veja também:


você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.