<

Mario Quintana


Mário de Miranda Quintana, mais conhecido como Mario Quintana, pode ser considerado uns dos maiores poetisas do século XX. Mario mergulhou em diversas vertentes e áreas durante a sua vida, escreveu poemas, foi jornalista, tradutor, conhecido como poeta das coisas simples, estilo esse baseado na ironia, perfeição técnica e profundidade em suas obras literárias. Vamos conhecer um pouco mais da sua trajetória de vida e suas principais obras que ainda encantam milhares de leitores apaixonados pelo escritor?

Veja também: PABLO NERUDA

TRAJETORIA DE VIDA

Mario Quintana Nasceu no dia 30 de julho de 1906, na cidade de Alegrete, no Rio Grande do Sul e veio a falecer aos 88 anos de idade, no ano de 1994, deixando um grande legado poéticos. Já na sua infância demonstrava que era um grande precursor na arte literária, foi alfabetizado em sua própria casa e com 7 anos de idade já sabia falar Frances.

No ano de 1919, Mario Quintana foi matriculado em um colégio militar de Porto Alegre e no mesmo ano começou a produzir seus primeiros trabalhos literários, os mesmos foram publicados pela revista do colégio.

Com essa perspectiva de vida, e com as coisas fluindo no caminho certo no colégio militar, veio à primeira barreira na vida do escritor, Mario se viu doente e teve que interromper seus estudos no colégio, mas nada estava perdido, com a saída da instituição, Mario começou a trabalhar na Livraria Globo, livraria essa renomada nacionalmente, trabalhando nessa editora o escritor conheceu pessoas de suma importância, temos como o exemplo o escritor Mansueto Bernardi.

Kit de Alfabetização Só Escola

Infelizmente outra barreira surgiu na vida do escritor, ficou no emprego por apenas 3 meses, diante dessa realidade e sem opções presentes no momento, Mario Quintana voltou para sua cidade de origem e passou a trabalhar com seu pai na farmácia, depois de algum tempo, os pais de Mario Quintana veio a falecer, deixando-o totalmente perdido e sem saber o que fazer realmente dali por diante, sem profissão definida e sem dinheiro.

Com esse cenário e enfrentando dificuldade, Mario decidiu voltar para Porto Alegre, começou a trabalhar na redação do Jornal Estado do Rio grande, mas infelizmente a maré na estava pra peixe na vida do escritor, o Jornal teve que fechar as portas depois de um ano de trabalho, com isso, Mario se sentiu perdido novamente.

Outros artigos:

Depois de algum tempo do ocorrido, o mesmo conseguiu achar um meio de ganhar dinheiro, e traduziu “Palavras de Sangue” de Giovanni Papini, para editora Globo, com essa oportunidade dentro da editora, Mario conseguiu traduzir outras diversas obras dentro do Jornal, sendo um cenário decisivo na vida de Quintana.

Em 1940, publicou A Rua dos Cata-ventos, marcando seu primeiro livro de sonetos, felizmente o livro foi de grande sucesso, com essa repercussão positiva para a vida do escritor, Mario começou a escrever e publicar outras diversas obras poéticas, todos de grande sucesso e repercussão no meio literário.

PRINCIPAIS OBRAS

Depois de toda trajetória nada fácil, Mario conseguiu se estabelecer no mundo da literatura, no auge dos seus 34 anos de idade, publicou sua primeira obra “A Rua dos Cata-ventos”, livro esse voltado para o publico infantil e publicado em 1940, entre outras obras, como:

POESIAS:

  • Publicou canções, de 1946
  • Sapato Florido, 1948
  • O aprendiz de Feiticeiro, 1950
  • Espelho Mágico, 1951
  • Poesias, 1962
  • Quintanares, 1976
  • Preparativos de Viagem, 1987

Esses são apenas alguns das suas grandes obras publicados pelo escritor, em 2001, 7 anos depois da sua morte, foi publicado a poesia água:

ÁGUA

“Um poema como um gole d’água bebido no escuro.
Como um pobre animal palpitando ferido.
Como pequenina moeda de prata perdida para sempre na
 [floresta noturna.
Um poema sem outra angústia que a sua misteriosa condição
 [de poema.
Triste.
Solitário.
Único.
Ferido de mortal beleza.”

Além das poesias, Mario Quintana mergulhou também na Literatura Infantil, como Lili inventa o Mundo, 1983 e o Sapo Amarelo de, 1984 entre outros.  Com as antologias, foram 9 obras no total, entre elas estão Antologia Poética, 1966, Na volta da esquina, de 1979 e Ora Bolas, 1994, ano da sua morte.

RECONHECIMENTO E PRÊMIOS de Mario Quintana

Diante de tantas obras de grande relevância no meio literário, Mario Quintana teve seu conhecimento apenas em 1966, é nesse ano que suas obras ganham conhecimento de nível nacional, tempos depois Mario ganha o Premio Fernando Chinaglia da União Brasileira dos Escritores, esse premio ocorreu através da sua grande obra “Antologia Poética”, e não parou por ai, no mesmo ano recebeu grandes homenagens da Academia Brasileira de Letras, merecido não é?

Além desses prêmios, recebeu grandes homenagens em Porto Alegre, cidade essa que fez parte da sua trajetória de vida, nesse mesmo espaço foi adaptado no lugar do Hotel Majestic um centro cultural que leva seu nome: “Casa de  Cultura Mario Quintana”.

Mario Quintana não se preocupava em escrever o que estava na moda, sua literatura é baseado em um estilo humilde, bem Mario Quintana de ser, por esse fato, fez com que o escritor se tornasse um poeta popular, sem grandes amarras, e queridos por aqueles que são apaixonados por suas obras.

 

FRASES MARCANTES DO ESCRITOR Mario Quintana:

Tão bom morrer de amor! E continuar vivendo…”

“Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho.”

“A arte de viver é simplesmente a arte de conviver… simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!

“O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente…”

“O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso.”