Esportes

Ginástica Laboral


ginástica laboral é um conjunto de práticas esportivas praticadas com a finalidade de evitar patologias e problemas de saúde relacionados ao ambiente de trabalho e às atividades laborais, motivando os trabalhadores a realizar exercícios físicos e diminuindo o stress. A ginástica laboral é frequentemente praticada no próprio ambiente de trabalho, e tem uma duração baixa, de no máximo uma hora.

Estas práticas podem ser realizadas diariamente e sua frequência varia com a disponibilidade dos profissionais e do local disponibilizados pela empresa.

Com a popularização desta ginástica, gestores e empresários perceberam que a melhoria da qualidade de vida e da satisfação no trabalho aumentava a produtividade dos funcionários, e consequentemente, da empresa como um todo. Houve, então uma mudança de prioridades das empresas, que passaram e se preocupar mais com o ambiente de trabalho que proporcionavam aos seus colaboradores.

Recomendamos também: Ginástica artística.

História da Ginástica Laboral

Este conjunto de atividades físicas surgiu na Europa, na década de 1920, após a Revolução Industrial, com a consolidação de um novo sistema de produção em escala.

Quando a laboral foi criada, era chama de “Ginástica de Pausa”, e era começou a se popularizar nas fábricas polonesas e russas.

Ao final da década de 1920, as indústrias japonesas assimilaram essas práticas e seus gestores perceberam seus benefícios, como a redução do desgaste físico e mental dos funcionários, aumentando a produtividade dos mesmos.

Em 1968, esta prática foi implementada nos Estados Unidos, ganhando grande visibilidade.

Esta prática chegou ao Brasil no ano de 1901. A primeira instituição brasileira a proporcionar sessões de ginástica laboral aos seus trabalhadores foi a Fábrica de Tecidos Bangu.

Atualmente, praticar ginástica laboral se tornou uma prática comum e popular em muitas empresas, que se preocupam com promover o bem-estar de seus funcionários, assim como promover a interação entre os mesmos, se tornando parte das diretrizes administrativas de muitas empresas.

A implementação de um programa de ginástica laboral também está relacionada à valorização dos colaboradores, o interesse da empresa pela saúde de seus colaboradores, à valorização de um trabalho realizado com qualidade, à prevenção de doenças e à construção de um bom ambiente de trabalho.

Assim, a ginástica laboral está relacionada também à qualidade de vida, à manutenção da saúde e à diminuição do desgaste causado pelo trabalho.

Tipos de ginástica laboral

A ginástica laboral pode ser classificada de acordo com os objetivos dos exercícios e de acordo com a necessidade dos trabalhadores:

Tipos de ginástica laboral

Pode-se classificar as modalidades da ginástica laboral de acordo com o horário de realização dos exercícios:

  • Ginástica laboral preparatória, que tem como função a preparação do corpo do funcionário para a execução do trabalho físico, promovendo a oxigenação dos tecidos corporais, o aumento de frequência cardíaca, o aumento da disposição e da concentração no trabalho. Este tipo de ginástica laboral é composto por exercícios com duração média de 10 a 12 minutos, nos quais são realizados exercícios que promovem coordenação motora, equilíbrio, concentração, flexibilidade e força muscular.
  • Compensatória, que tem como função diminuir as tensões musculares resultantes do uso excessivo das estruturas corporais devido a má postura ou esforços excessivos; este tipo de modalidade é praticado ao longo da jornada de trabalho. Este tipo de exercício promove a desintoxicação do corpo, a correção da postura corporal e a diminuição da fadiga mental e muscular. A série de exercícios praticada busca trabalhar de forma específica movimentos de correção postural, de aumento de flexibilidade, promoção de alongamento e exercícios respiratórios.
  • Ginástica laboral de relaxamento, que tem como função aliviar as tensões acumuladas durante o dia e diminuir o estresse. A ginástica laboral de relaxamento é praticada após a jornada de trabalho, através de sessões de automassagens, exercícios de controle de respiração, alongamentos e meditação de diversos tipos.
  • Ela também pode ser classificada de acordo com o objetivo dos exercícios praticados:
  • Ginástica laboral de correção postural, cuja finalidade é equilibrar a musculatura corporal, através do alongamento e do fortalecimento de músculos pouco usados. Estes exercícios são realizados num intervalo de dez minutos, e podem ser praticados diariamente ou até três vezes por semana.
  • Ginástica laboral compensatória, cuja finalidade é prevenir e compensar adaptações e deformidades posturais. Estes exercícios são realizados através de movimentos simétricos e têm a duração máxima de dez minutos.
  • Ginástica laboral terapêutica, cuja finalidade é tratar distúrbios, doenças e alterações posturais, de acordo com as queixas do colaborador, com duração média de trinta minutos.
  • Ginástica laboral de conservativa, cuja finalidade é a manutenção do condicionamento físico, bem como do equilíbrio muscular e das correções posturais. A duração média destes exercícios é de quarenta a noventa minutos.

Principais benefícios da ginástica laboral:

  • Diminuição da fadiga mental e corporal;
  • Diminuição do estresse;
  • Diminuição do  sedentarismo;
  • Prevenção de patologias relacionadas a movimentos repetitivos, como Lesões de Esforço Repetitivo e Distúrbios Osteo musculares Relacionados à atividade laboral;
  • Melhoria do aspecto postural e correção de problemas de coluna;
  • Aumento da produtividade do trabalhador no trabalho;
  • Aumento da qualidade das relações entre colegas de trabalho e gestores;
  • Aumento da concentração do trabalhador nas suas funções cotidianas;
  • Diminuição de despesas da empresa com licenças médicas de trabalhadores;
  • Prevenção de doenças osteo musculares;
  • Promoção da integração entre equipes de alta performance;
  • Melhoria do ambiente de trabalho, com consequente aumento de produtividade;
  • Aumento da satisfação do trabalhador com seu emprego;
  • Redução dos riscos e do número de acidentes de trabalho, reduzindo também custos relacionados a eles;
  • Otimização da rotina dos colaboradores e melhoria da gestão do tempo;
  • Diminuição de faltas no trabalho decorrentes de problemas físicos e mentais;
  • Melhoria da imagem da empresa perante seus funcionários e aumento da autoestima dos mesmos;
  • Diminuição das taxas de rotatividade dos funcionários da empresa, reduzindo também as despesas da empresa e aumentando a retenção de bons funcionários;
  • Diminuição de acidentes relacionados ao desequilíbrio motor, esforços repetitivos concentrados em articulações específicas e à concentração de pesos cargas em um único lado do corpo de forma crônica.

Veja mais:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

x